Saudade da barriga. Quem tem?

Foto: Mãe com Prosa

Saudade da barriga. Quem tem?

Por Patricia Travassos

 

Meninas, hoje me bateu uma saudade do meu barrigão de grávida! É que uma das professoras da Isabela veio me contar, toda emocionada, que está esperando uma menina. Ela perguntou como tinha sido a minha gestação e eu simplesmente voltei no tempo. Que delícia!

 

Por enquanto, na 15a semana, a “marinheira de primeira viagem” ainda está sentindo aquele “friozinho” na barriga, sabe? Um mix de ansiedade, medo e insegurança. Para você, que acabou de descobrir que está grávida, saiba que essa sensação não vai passar nunca. Mas, com leveza e bom humor, a gente aprende a conviver com ela.

 

Prepare-se para receber sorrisos até de desconhecidos. É impressionante como todo mundo que olha para uma grávida sorri. Eu tenho amigas que apostam ser puro sadismo. Elas dizem que as pessoas têm prazer de ver que a outra está prestes a enfrentar o maior desafio (leia-se “perrengue”) da humanidade. Mas eu discordo totalmente. Retribuía orgulhosa cada sorriso. Hoje, sou eu que faço questão de sorrir para todas as grávidas com quem cruzo na rua. É tão bonito de ver duas pessoas em uma só, se transformando mutuamente…

 

Eu não sei se o tempo apagou as lembranças ruins da gestação. Deixe-me pensar: Ah! Sim, claro, a gente fica meio abobada e esquecida com o excesso de progesterona. Isso é cientificamente comprovado, gente! Um dia, saí do elevador do meu prédio e simplesmente não lembrava para que lado ficava o apartamento onde eu morava havia quase 10 anos. Dá mesmo um “tilt” na cabeça da mulher. Há estudos que dizem que o cérebro da mulher grávida chega a encolher de tamanho! E isso não é brincadeira.

 

Com os inchaços, meus ouvidos tamparam e quase me enlouqueceram. A crise durou cerca de um mês, e como mágica, passou. Ufa! Eu também sentia um cansaço descomunal para subir qualquer ladeira. Mas achava graça chegar ofegante no restaurante da esquina. Isso me liberava a culpa na hora de escolher o prato mais gostoso! Aliás, o paladar de grávida é um espetáculo. Como é bom comer nesse período!

 

Bom, no final, claro que me incomodava o fato de não caber direito em quase nenhuma roupa. E a repetição de figurino me enjoou mais do que qualquer asia dos primeiros meses de gestação. Fora isso, não reclamo de nada, não. Nem do peso, muito menos dos chutinhos. Muito pelo contrário, cada chute, pra mim, era um gol! Comemoro essa vitória todos os dias!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *