Nem todas terão mais tempo com filhos

Do nosso parceiro Catraquinha

Embora grande parte dos empreendedores de sucesso divulgados na imprensa sejam homens, o mundo do empreendedorismo é cada vez mais ocupado por mulheres e há um número crescente de mães, que buscam no empreendedorismo uma alternativa de trabalho após a maternidade. Essas são algumas das descobertas do projeto The Girls on The Road, que se propõe a realizar entrevistas com mulheres empreendedoras em todos os continentes para inspirar e empoderar aquelas que desejam empreender.

Após o primeiro ciclo de entrevistas do projeto, que aconteceu nos Estados Unidos e Canadá durante junho e julho de 2016, Taciana Mello e a Fernanda Moura, que encabeçam a iniciativa, conversaram com o Catraquinha sobre suas descobertas em relação ao empreendedorismo materno nesses países.

Confira a entrevista a seguir:

Quais são os grandes motivos que levam as mães a empreenderem?

De acordo com as entrevistadas que são mães, elas viram no empreendedorismo uma forma de se sentirem realizadas como profissional e ao mesmo tempo como mãe, por conseguirem ter uma agenda mais flexível e maior controle sobre ela. Todas elas entendem que as escolhas não são excludentes. É possível ser mãe e ao mesmo tempo empresária. Outra motivação foi trabalharem em algo que tem maior impacto e satisfação pessoal do que a atividade que desempenhavam no mundo corporativo. Algumas mães basearam seus negócios em uma oportunidade relacionada à maternidade. Por serem mães, enxergam oportunidades de melhoria que para outras pessoas podem passar despercebidas.

Quando falamos em empreendedorismo materno, a princípio parece que é uma atividade que “resolve” a vida das mães. Mas sabemos que nem sempre a vida da mãe empreendedora é um mar de rosas. Quais os principais desafios do dia a dia dessas mães que empreendem?

Primeiramente, é preciso lembrar que empreender não é garantia de passar mais tempo com os filhos. As condições podem ser mais flexíveis, mais o nível de trabalho é intenso. Segundo, ter mais tempo para curtir os filhos passa também por uma mudança de entendimento dos papéis que a mulher exerce e o apoio que recebe dentro e fora de casa.

Empreender pode não ser a melhor solução. Se além do novo negócio, ela tem a responsabilidade integral de cuidar dos filhos, de gerir a casa sem divisão dessas responsabilidades, o tiro pode sair pela culatra.

Algumas empreendedoras que entrevistamos foram muito honestas ao dizer que tiveram que “negociar” com seus maridos e companheiros como seria a divisão de tarefas, e foram firmes ao defenderem suas iniciativas. Isso já é um avanço se pensarmos que ainda há o entendimento que essas tarefas devem ser basicamente desempenhadas pela mulher. Antes de tomar a decisão de seguir um outro rumo, é preciso ter muita certeza do que se quer realizar. Empreender não é para todo mundo e nem todas as mães encontrarão mais tempo para curtir os filhos e realização profissional abrindo seu próprio negócio. Esse paradigma precisa ser quebrado. Empreender, sendo mãe ou não exige uma dedicação e comprometimento que podem, em determinados períodos, exigir muito mais que uma posição em uma empresa.

Vocês falaram que no Canadá e EUA os pais são mais participativos no cuidado dos filhos e da casa. De que maneira isso impacta o trabalho das mães?

Primeiramente, elas se sentem apoiadas com o reconhecimento pelos maridos que filhos são responsabilidades de ambos. Além disso, isso permite que tenham mais tempo para cuidarem de seus próprios negócios e de si mesmas. Por último, ao dividirem as tarefas com o cuidado dos filhos e da casa, os pais demonstram que também julgam importante a realização profissional da esposa.

De que maneira as lições aprendidas na maternidade são aproveitadas por essas mães em seus empreendimentos?

Muitas afirmam que o senso de urgência mudou ao se tornarem mães. Isso as ajuda como empreendedoras, ao saberem como direcionar e priorizar recursos, por exemplo. Outro comentário frequente é que conseguem identificar oportunidades de negócios a partir de demandas da maternidade. Outro ponto importante é o gerenciamento do tempo, sabendo que não possuem mais tanto tempo como antes, se tornam muito mais focadas e produtivas.

 

Leia a matéria original no https://catraquinha.catracalivre.com.br/geral/economizar/indicacao/empreendedorismo-materno-nem-todas-terao-mais-tempo-com-filhos/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *