Memória e Atenção – Telefone sem fio

Foto: Mãe com Prosa

Memória e Atenção – Telefone sem fio

 

Tipo de jogo: Recreativo

O que estimula: Atenção, capacidade de audição, concentração, oralidade e memória

Idade recomendada: a partir de 4 anos

Onde brincar: em qualquer local

Número de participantes: no mínimo 3 participantes

Material necessário: não é necessário material

 

 

Mais um jogo para as crianças aproveitarem nas férias de verão!

O Telefone sem fio é uma tradicional brincadeira popular, antiga, mas não se sabe ao certo a sua origem. É possível que coincida com a popularização do telefone, no fim do século XIX. Nessa época, a conexão era instável, e o som transmitido sofria interferências e ruídos, tornando frequentes os problemas de comunicação.

Como na brincadeira a mensagem é passada de uma criança para outra oralmente, e sem um fio, imagina-se que o nome da brincadeira venha daí.

Referências a esta brincadeira estão em nosso dia a dia, em situações que ocorram falhas de comunicação, como fofocas, que comumente se distorcem pelo caminho.

O jogo é simples, onde uma pessoa fala uma palavra ou frase – o “segredo”, sussurrando no ouvido de outra pessoa ao seu lado, e os demais participantes não devem escutar. O “segredo” deve ser repassado para cada participante, individualmente e também sussurrando, até que o último a escutar a sentença deve repetí-la em voz alta para todo o grupo. Como uma das regras é não poder repetir o “segredo” para a mesma pessoa, é comum que seja distorcido ou mal entendido, e seja repassado cada vez mais deturpado, chegando totalmente diferente ao ouvinte final, e isso é o que deixa a brincadeira muito divertida.

É possível competir em grupos, verificando qual deles chega ao final com o “segredo” dito da forma mais parecida com o início.

 

Regras do jogo:

 

As regras são simples: todos os jogadores devem se sentar, formando um círculo ou uma fila, um ao lado do outro. A pessoa que estiver na ponta da fila (ou qualquer pessoa do círculo), cria o “segredo”- que pode ser uma palavra ou uma frase – e repassa esse segredo, bem baixinho, no ouvido do jogador que estiver ao seu lado.

O próximo jogador repetirá o mesmo segredo, como ele ouviu ou entendeu, para o próximo colega, e assim sucessivamente, até chegar no último participante, que deverá anunciar alto aquilo que escutou / entendeu.

Dificilmente o segredo anunciado pelo último jogador será o mesmo dito pelo participante que iniciou o jogo, já que ao falar baixinho no ouvido de um colega, dificulta a comunicação e o segredo pode não ser compreendido corretamente E quando ele é distorcido ou alterado, a diversão é garantida.

 

Dica:   Para crianças menores, no lugar de frases elaboradas, diga uma só palavra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *