Maritaca Toca Tudo

E se ontem foi dia de João-de-Barro no Mãe com Prosa, hoje é dia de maritaca. De Maritaca Toca Tudo. E quem toca esse programa que você pode ouvir na Rádio Vozes, comandada pela Patricia Palumbo, é a Mariana Piza, mãe do Matias, formada e jornalismo e artes cênicas. A Mariana já trabalhou no Manhattan Connection, da Globonews, no Vídeo Show da Globo, no Metrópolis da TV Cultura e no Leitura Dinâmica da Rede TV, mas a música e a contação de histórias são suas grandes paixões e são elas que movem o programa que já abocanhou o prêmio APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) de melhor produção e entretenimento no rádio.

A história do Maritaca Toca Tudo começou há 10 anos em uma viagem de carro que Mariana fazia com uma amiga e sua filha pequena. Durante o trajeto, a menina, irritada e incomodada, não parava de chorar. Então, sua mãe colocou para tocar um CD de músicas infantis. E não é que a menina, ao ouvir os primeiros acordes, parou de chorar na hora? Pareceu um toque de mágica, e a Mariana teve um estalo: Por que é que não existe uma rádio para criança? À época realmente não havia nenhuma, e a ideia ficou fermentando na cabeça da Mariana, que cresceu em um ambiente onde a música estava presente o tempo todo.

Daquele tempo até cerca de um ano atrás, quando o Maritaca Toca Tudo tomou de fato a forma de programa e passou a fazer parte da grade da Rádio Vozes, muita coisa aconteceu, inclusive o nascimento do Matias, que hoje tem cinco anos e é assíduo colaborador das vinhetas. Antes do Matias, a Mariana era exclusivamente uma artista que trabalhava com performances. Às vezes tinha dinheiro, em outras não, mas ela ia se virando, dançando conforme a música. Com o filho, ela precisava assegurar o ganha pão, mas queria fazer o que gostava. E a única coisa que passava por sua cabeça era o programa de rádio.

Ainda sem patrocínio, o Maritaca Toca Tudo é um investimento da Mariana. Um investimento de tempo, de vida e de família. E um dos caminhos que ela está buscando agora é por meio de instituições e fundações que tenham uma preocupação com a educação, pois seu programa, construído com a livre associação que caracteriza o pensar de uma criança, transmite arte de uma forma deliciosa e contribui de maneira fundamental com a formação de nossos pequenos que, graças à tecnologia, podem levar o Maritaca a qualquer lugar e escutá-lo quantas vezes quiserem.

A conversa que o #MCP teve com a Mariana Piza, com mais detalhes de todo esse processo, você vai assistir em breve no nosso canal!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *