Lia Abbud e O Reino da Queijadinha

A jornalista que abriu seu próprio negócio e virou Rainha

Esse não um é “conto de fadas”, mas é uma ótima história para se inspirar. A jornalista Lia Abbud trabalhava numa multinacional de grande porte.  Era responsável por muitas funções na área de comunicação e amava o que fazia. Depois que se tornou mãe, o acúmulo de afazeres começou a ameaçar sua tranquilidade, como o lobo mau que soprava a casa dos Três Porquinhos, deixando-a cada dia mais frustrada. Lia era muito dedicada à carreira e amava os filhos, mas entre essas duas paixões existia o “maléfico” trânsito de São Paulo. Eram quase duas horas diárias perdidas no congestionamento para chegar ao trabalho ou para voltar para casa.

A gota d’água aconteceu numa noite de chuva, quando Lia tentava chegar em casa, mas o tempo passava e ela não conseguia sair do lugar. “Eu me lembro das ligações da babá que tinha um compromisso e precisava ir embora, da preocupação com as crianças me esperando e, ao mesmo tempo, dos e-mails da empresa que não paravam de chegar com pendências para o dia seguinte. Foi desesperador. E acabei chorando o caminho inteiro”, conta Lia. A jornalista precisava de uma fada madrinha que pudesse realizar o simples desejo de tele-transportá-la todos os dias de casa para o trabalho. Como era impossível, a solução foi mesmo pedir demissão. Ela se tornaria a Rainha das queijadinhas e a partir daquele dia, decidiu, trabalharia em casa.

No começo não foi fácil, seus dois filhos pareciam os sete anões, sempre requisitando sua presença para brincar. Aos poucos eles foram entendendo que, embora a mamãe estivesse em casa, ela não tinha disponibilidade para eles o tempo todo. Organizar as tarefas de mãe e de empreendedora exigiu planejamento. E assim, ela conseguiu construir seu reinado sem abrir mão da qualidade de vida. “A Minha dica é anotar tudo que deve fazer, inclusive metas diárias, semanais e até mensais, como encontros com parceiros ou pessoas que podem complementar seu negócio. No começo estranhei muito a solidão de trabalhar em Home Office. Antes, você trocava informações com outras pessoas e de repente se vê sozinha, sem companhia nem para um café. É  preciso se organizar”, diz Lia Abbud.

Você tem que ver sua empresa como outra qualquer, só que você é responsável por todas as áreas. Procurei auxílio de outros profissionais para me ajudar nas funções que eu não tinha domínio. Pensava, sou jornalista e faço doces, preciso de ajuda! Algo que fez muita diferença na minha vida foram os grupos de apoio, sejam no Facebook ou em outras redes sociais. É uma grande troca de informações onde eu posso tirar minhas dúvidas e ajudar outras pessoas. Assim todos conseguem crescer juntos”, conta a doceira.

Hoje, O Reino das Queijadinhas tem vários súditos verdadeiramente enfeitiçados pelo doce sabor da receita que é um segredo de família. Atualmente, Lia produz outros doces e quitutes caseiros que remetem à infância. A ideia dela é sempre cutucar a memória afetiva das pessoas e torná-las felizes para sempre… Ainda que o para sempre dure apenas poucos instantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *