Filhos? Não, obrigada.

Por Raquel Novaes

Inscreva-se no nosso Canal no YouTube

 

Quando a gente é criança – principalmente menina – aprende que, quando crescer, vai casar e ter filhos. Durante toda a infância brincamos com bonecas e cuidamos delas como se fossem filhinhas. Depois a gente cresce, vai para a faculdade, começa a se interessar pela carreira e se empenhar no trabalho. E não importa o quanto você esteja se saindo bem nesse caminho, todo mundo te pergunta: “E o namorado? Quando vai ser o casamento?” E você, para não responder o que está com vontade, respira fundo e faz uma cara de paisagem. Aí você encontra um cara legal e resolve ficar com ele definitivamente. E a pergunta que ouve passa a ser: “Quando vem o bebê? Vai ficar para titia?”

O que sempre me intrigou foi essa obsessão por casamento e filhos. Por que simplesmente as pessoas não te perguntam: “Como você está? Está feliz?” Como se sinônimo de felicidade fosse casar e ter filhos!

E a situação piora quando sua resposta não é o que os outros querem ouvir: “Não, eu não quero ter filhos”. Aí o mundo desaba, acontece o apocalipse e você é condenada, passa a ser a pior pessoa do universo, insensível, sem coração, fria.

Uma vez, uma amiga (veja bem, uma amiga!) me disse que eu era egoísta. Nunca entendi isso… como assim, egoísta? Egoísta com quem? Com o mundo, em não querer colocar mais um ser humano no planeta? Egoísta com a humanidade por não ajudar em sua continuidade? Penso que egoísta eu seria se tivesse um filho e negligenciasse a educação dele para cuidar só de mim. Mas o filho nem existe! Como posso ser egoísta?

Aliás, conheço muita gente assim, que delega a educação dos filhos. O sonho era só engravidar? Só ver o filho nascer? Assim é fácil… não gostaria de ser uma mãe que deixasse nas mãos de babás, escola, avós os ensinamentos a meu filho. Se eu tivesse – ou tiver – um filho, gostaria de ser a melhor mãe do mundo. Mas me parece que muitas vezes ter filho é status, serve para dar uma resposta à sociedade, é dever cumprido, só isso.

Não sou muito boa com números, mas para mim é claro que há duas possibilidades: você pode escolher ter filhos ou não. É 50% de chance pra cada lado. Se existe essa opção, por que você não tem direito de escolhê-la? Parece que as mulheres são obrigadas a querer ter filhos. Se não tiver, só é perdoada se não pode, se tem alguma doença… Se simplesmente não quer, está condenada.

Enquanto a filha é só a boneca, a vida é muito bonita, tudo dá certo, o mundo é um lugar seguro e acreditamos que seremos felizes para sempre. Só que aí você cresce e vê que não é bem assim, que existem coisas que muita gente acha normal, mas com as quais você não concorda, há valores que para você são importantes e quase ninguém mais tem. Aí você cai na real e vê a questão da maternidade com outro olhar, menos romântico, mais prático. Como criar filhos num mundo assim? A ideia de brincar de boneca pra sempre começa a ser colocada em xeque.

Mas acho que esse sonho de princesa – que, sem que a gente perceba, vira quase uma obrigação de ser mãe – e que permeia toda a infância, adolescência e até a vida adulta das mulheres, deixa pouco espaço para questionamentos, para a realidade.

Muitas das minhas amigas, enlouquecidas por engravidar, vivem repetindo: “Quero ter um bebê, quero ter um bebê!” Depois que parei para pensar sobre ser mãe ou não, considero a seguinte questão: não, você não vai ter um bebê. Vai ter um filho. Vai ser bebê durante dois anos, depois cresce. Ou alguém sonha em ter um adolescente? Nunca ouvi nenhuma delas dizendo isso…

Tem também a ideia de não dormir direito nunca mais, que não me agrada. A meu ver, no começo você não dorme porque a criança chora à noite. Depois, fica doente, vai pra sua cama procurando conforto. Cresce um pouco e o motivo de te tirar o sono muda: vai pra escola, pode não conseguir fazer amigos, briga, tem problemas. Depois você perde o sono preocupada se seu filho está bebendo, usando drogas… Daí você não dorme porque ele não conseguiu entrar na faculdade, depois porque não consegue arranjar um emprego… e por aí vai. Esses cenários são todos negativos? Sim. Mas são perfeitamente plausíveis. Pode acontecer tudo isso, não pode? Mas também já ouvi: “Isso é pequeno perto do que se sente, é um amor sem limites, que você nunca imaginou sentir, que supera tudo isso.” Acredito. Piamente. Mas não quero.

O curioso é que hoje em dia há um discurso muito forte sobre aceitação. Todo mundo tem direito a ser o que quiser, ter a opinião que tiver… mais ou menos. Hipocrisia. A sua opinião é aceita se for igual à dos outros, ou se for o que querem ouvir. Se for diferente, deixa de ser opinião e passa a ser preconceito. Para mim, preconceito não é opinião diferente. Preconceito é emitir uma opinião sem conhecer o assunto ou sem parar para pensar no que está sendo dito.

Num mundo com tanta diversidade, preconceito é crer que há um padrão universal que deve ser seguido por todos, o que é bom para um é bom para todo mundo. Há mulheres que acham melhor não ter filhos. E a escolha delas é pessoal, legítima e não diz respeito a mais ninguém. Por que essa decisão não pode ser respeitada? Tem sempre que vir rotulada? E, pior: geralmente os comentários e olhares de reprovação partem de outras mulheres! Parecem se sentir ofendidas…

Não, obrigada, mas não quero criar filhos num mundo assim.

Enfim… acho que tudo seria melhor se, em vez de perguntarem quando vai ser o casamento ou quando vem o bebê, as pessoas se preocupassem em saber, apenas, se o outro está feliz. Porque há felicidade, sim, fora dos ditos padrões. E, afinal, é isso o que importa, não é?

 

Raquel Novaes é jornalista. Apresentadora do Edição das 10h, na Globonews.

Inscreva-se no nosso Canal no YouTube

Visite a nossa página no Facebook

Siga o nosso perfil no Instagram

140 Comentários

  1. Cilene disse:

    Ninguém me representou tanto sobre essa questão como nesse texto. É bom saber que mais mulheres pensam como eu e que não sou um E.T

    • admin disse:

      Que bom, Cilene. Nosso intuito aqui é mostrar que nenhuma mulher está sozinha em suas reflexões. Compartilhamos muitos sentimentos comuns, sejam eles os mais diversos. Continue nos seguindo. Um beijo!

      • Bárbara disse:

        Nunca um texto expressou tão bem o que sinto e o que muitas mulheres por aí sentem… Parabéns pela forma tão delicada e realista que você expôs o sentimento em relação a este tema.

    • virginia disse:

      Raquel querida…tudo que Deus faz é perfeito…Ele é quem dá a vida e quem tira…eu sou prova da vontade dEle…15 anos esperando por um filho …sim …15 anos de espera …e não veio…mas veio uma paz …serena…e uma certeza de que Ele está no controle de tudo…inclusive da proteção da família…do amor e da verdade que liberta…Ele sabe de todas as coisas e tem o domínio de toda situação…apenas confiar é a nossa parte da história…o micro…à Ele pertence todo o macro …assim como Ele cuidou de seus pais e de vocês…sua decisão também
      deve ser colocada diante dEle…e fica em paz…se vivermos em função da opinião dos outros…não viveremos…vegetaremos…bjos

      • Anildo disse:

        Virgínia, olha só, se todos pensassem como vc, nós não teríamos ciência e nem cientistas, teríamos padres, bispos, pastores, religião e fé. A humanidade estaria ainda vivendo como na idade média, com doenças que hoje são curadas com simples antibióticos, matando pessoas como mosca, a média de vida não passava dos trinta anos. Graças a alguns corajosos cientistas que foram capazes de enfrentar o poder da igreja, que se superou o obscurantismo das religiões e da fé, que temos hoje acesso ao conhecimento e ao desenvolvimento humano, com uma expectativa de vida beirando os oitenta anos. Portanto, vamos divulgar mais conhecimento e idéias…

    • Marcio Caldas disse:

      A Raquel está certíssima. Deus coloca sempre escolhas na sua vida e cabe a você selecionar sua estrada e ser feliz. Foi o que ela fez com muita lucidez. Acho uma bela jornalista e uma linda mulher e profissional irretocável. Parabéns pela pessoa que você é Raquel.

  2. Eunice Caixeta disse:

    O texto é tão eu!!!

  3. Fernanda disse:

    A vida é feita de escolhas. Eu escolhi ser mãe de dois seres lindos. São meus amores, ser mãe é , para mim, a melhor experiencia na vida de mulher. Apenas um comentário, as pessoas esquecem o fator natureza… É inegável a demanda da natureza no corpo da mulher, difícil crer que todas as mulheres que dizem não querer ter filhos não sintam este chamado do relógio biológico…enfim..respeito mas lamento quem nao quer ou não pode viver esta experiência maravilhosa

    • Aurora Coimbra disse:

      Também não entendo. Tenho 3 já criados é são tudo, um presente de Deus.

      • Prof. Ane disse:

        Natureza? Ter câncer ou morrer cedo também é natural.

        • Analista Marcio disse:

          Como alguém que se diz Prof. diz isso? Qual o ciclo da vida dos animais? Nascem, crescem, se desenvolvem, tem filhos e morrem. Nós somos animais, temos a mesma natureza, a diferença é que podemos escolher algumas coisas ou não. Mas é inegável que reprodução está em nossa natureza.

        • Geyme Lechner disse:

          Boa!!!!!!

          Ah esse tal “chamado biológico da mae natureza…”
          Quando as pessoas aprenderão a deixar de dizer tolices apenas no intuito de que essas tolices, mastigadas e de senso comum (o senso do tolo), represente-as como algo sábio? O mundo gira, o tempo passa, mas a opinião da massa ainda é do tempo da pedra.
          Fazer cocô também é natural. Todos precisam fazer. Agora, ter um filho, é sim opcional!
          A mulherada fala em “maior amor do mundo”, como se não existissem outras formas de amor além de parir. A vida é tão ampla! E felicidade? Sejam sinceras! Há outras metas, sentidos, desafios, adjetivos… além de ser “happy” nessa vida. Ademais, quem é feliz 24h por dia, sofre de distúrbios. O ser humano pensante, reflete, sofre, sente, chora… nem macaco é feliz nessa utopia que a mulherada “mãe” fica reprisando nessas frases de efeito, ocas e repetitivas.

          A propósito: excelente texto! Bem escrito, sentido, refletido e pensado!

      • Prof. Ane disse:

        Difícil crer por que? Este seu chamado biológico é muito mais fruto de pressão social, um mito criado para manter a mulher presa à ideia de reprodução, para “ser completa”, pois através da História o gênero feminino foi visto somente com o objetivo de procriar, e isto ainda não mudou muito… Se você é feliz com filhos, que bom. Mas não use a ideia de Natureza neste assunto (até por que, em várias espécies, somente a fêmea alfa reproduz, as outras ficam “de boa”)… (P.S.: sou bióloga)

        • ofelia sabbagh disse:

          Perfeito Prof.Ane! Não suporto quando as pessoas julgam que suas escolhas são ideais para todo mundo. Viva o livre arbítrio!

        • Prof. Ane disse:

          Morrer cedo seria natural, sim. Por ex., se o indivíduo tem algum problema de visão, seria rapidamente predado (seleção natural). Mas o ser humano chegou a um ponto em que contraria certas “leis naturais”, portanto é complicado falar que certas escolhas são somente culpa da natureza. Mas vejo que muitas pessoas usam isso como argumento para esta “obrigação” em ter filhos. Natural seria comermos comida crua, mas aprendemos a cozinhá-las, usando menos tempo para a digestão, facilitando o desenvolvimento das funções cognitivas. E sobre o ciclo de vida = nasce, cresce, tem filhotes e morre… É natural em quais espécies animais? Por ex., as abelhas fêmeas operárias não se reproduzem, somente a rainha (e os machos morrem assim que conseguem se reproduzir, em algumas espécies); ah, inclusive tem espécie de formiga que não precisa de machos, a rainha se reproduz assexuadamente; em grupos de hienas, as fêmeas comandam e se alimentam primeiro (os machos comem “o que sobrar”). “Ah, mas são espécies bem diferentes dos humanos”… Bom, os bonobos mantêm os laços sociais através de relações sexuais (sem fins reprodutivos, inclusive entre duas fêmeas)… Quero dizer que certas relações sociais consideradas “naturais” não correspondem ao que se observa em algumas espécies.

        • Giselle disse:

          Concordo plenamente. Temos escolha.
          E pra quem dita “a natureza”, por que usam contraceptivo? É contra a natureza humana…
          Por favor. Somos todos inteligentes o bastante pra hoje sabermos administrar quem somos, o que queremos e o que podemos.
          Ser pai ou mãe é um direito e não um dever.
          Respeito muito aqueles que não cedem a pressão e são concientes de quem são.
          Há tantos pais ruins e negligentes por aí, quem dera tivessem esta percepção antes de gerarem um ser.

          Obg se ter filho fosse algo tão único no ser humano e se partimos do princípio do chamado da natureza: não teríamos tantas crianças nas ruas e em lares adotivos.

          Rachel parabéns pela sabedoria intrínseca.

    • Hiroji Okano Júnior disse:

      De acordo!
      Tive uma vida antes dele. E tenho muitas outras agora!
      Não trocaria por nada!!!!!!!

    • Faby disse:

      Beleza, você teve teus filhos, mas não me venha com essa de imperativo da natureza, relógio biológico. Você ainda desqualifica a escolha da outra. Imagina se eu te digo que lamento por você ter escolhido ter filhos em vez de levar uma vida sem grandes preocupações com filhos? Você se sentiria ofendida na sua escolha, não?

    • Andy disse:

      Seu chamado biológico se chama pressão social que nos faz sentir menos mulheres caso não tenhamos filhos. Leia o Mito do Amor Materno da Judith Butler. Eu não quero ser mãe, não pretendo ser e o único chamado da natureza que eu sinto é o de ir ao banheiro. Não imponha sua forma de ver o mundo aos outros, se você sentiu o tal “chamado” beleza, eu nunca senti isso é não vou ser mãe.

      • Valéria R. Pinto disse:

        A respeito do “chamado biológico”, a Ciência já constatou: não existe. O famoso “instinto materno” é cultural e não biológico. Respeito as duas posições. Quem tem filhos, ótimo, mas quem decidiu não ter (e não importa por que movito), ótimo também. O que não se pode aceitar é achar que a mulher-mãe é mais mulher, mais importante, porque teve filho. A autora esqueceu de mencionar no texto que, para quem, durante toda a sua vida adulta, trabalha das 8h às 18h – pois tem que pagar suas próprias contas – levanta-se diariamente às 6h e vai pra cama depois das 23h, é totalmente inviável passar noites e noites em claro para atender o filho. Mas se sabe que existem as que fazem, e fazem bem. Trabalham fora 8 horas por dia, de segunda à sexta (às vezes, até mais), cuidam da casa, do marido, da comida e criam os filhos. Só não se sabe a que preço.

        • Leandro disse:

          Gostei do seu comentário e digo que realmente é cultural. Moro com meu filho adolescente, sou homem e somos só nós dois aqui (a mãe ajuda muito mas não mora aqui conosco) e nunca disse que tenho “instinto paterno” para fazer tudo que faço e sentir e perceber as coisas dele.
          Mas as pessoas nos julgam demais pelos padrões de família tradicional, tanto que vivem me dizendo que eu deveria me casar novamente já que me separei há dez anos e ninguém me pergunta se está tudo bem haha.

        • Maria da Penha disse:

          Concordo plenamente. Sou mãe de 3. Uma biológica e dois irmãos que adorei. Porém a algum tempo me pergunto se era isso mesmo que eu queria pra minha vida. Acho que hoje faria diferente. Mesmo pq me decepcionei com minha filha adotiva que completou 20 anos e me magoou bastante em Junho de 2016 pq conheceu um rapaz 13 anos mais velho que ela pela internet e saiu de casa em dois meses, me deixando em situação difícil pra.cuidar sozinha do irmão biológico dela. Enfim, faz parte do nosso crescimento.

      • denize disse:

        Oi Andy. Adoro esse livro, também me identifico muito com ele. Mas, a autora é a Elizabeth Banditer! bjos

    • Fah disse:

      Talvez pq cada mulher seja diferente, com objetivos diferentes, com forma de pensar diferente etc.
      Eu não quero gerar uma criança de mim, mas quero poder apadrinhar crianças que também foram geradas pelo chamado do ‘relógio biológico’ mas que estão em orfanatos, pq suas mães não quiseram ficar com eles depois que viram o quanto é complicado criar um filho.

    • Sheila disse:

      Você poderia ter parado antes do apenas um comentário. Apenas um comentário (não solicitado em todas as vezes) é exatamente o que a autora descreve. Seria interessante ver a escrita dizendo: sou mãe e sou feliz, mas acredito em quem não quer ser mãe e tb é feliz.. Só um comentário é a predecessora das opiniões preconceituosas, indesejadas, não solicitadas e altamente dispensáveis.

    • Laura disse:

      A vida é realmente feita de escolhas com isso concordo plenamente. Entretanto as pessoas são todas diferentes. Inclusive em um grupo de mulheres todas desmostrarão caracteristicas diferentes uma das outras. O que você diz ser parte da natureza humana nunca foi uma experience vivida por mim. Sou casada a mais de 6 anos com um homem maravilhoso que seria um exelente pai, e eu sei que eu seria uma exelente mãe também. Porém, ambos, meu marido e eu, nunca sentimos esse “chamado da natureza” e muito pelo contrario nós sentimos que as nossas vidas estão completas. Eu não me importo com os comentários como o teu, porque veja bem eu sinto que a minha vida esteja completa, mas tem gente que ainda está entando descobrir o que completaria a vida delas, e muitas vezes e algo que não tem nada a ver com ter filhos mas aí eles escutam esse tipo de conversa e acham que filho que a solução de todo e qualquer problema. E tem também aquelas mulheres que escutam as outras dizendo que querer ter filho é o normal e acabam se sentindo alienigenas por simplesmente não quererem ter filhos. De qualquer maneira, ter filho é uma opção mas querer ter filho não. Ou você quer ou você não quer. Então se a sua natureza é querer não espalhe a idéa de que essa é a natureza de todas porque a minha natureza por exemple é ser feliz e sem filhos. Abraços!

    • Marko disse:

      Fator natureza????? Conheço mulheres que escolheram não ter filhos e dizem justamente que nunca sentiram essa “vontade “. E quando a mulher escolhe não ser mãe, não há o que entender e nem o que lamentar, simples assim.

    • Vanessa disse:

      Concordo ser mãe é presente de Deus, e tenho minhas dúvidas sobre quem fala que não quer ter filhos, a maioria é porque não achou o parceiro (pai) para seu filho, e em relação ao texto acima da Raquel é um texto preconceituoso sim, onde ela defende e ao mesmo tempo fala que o motivo de não ter filhos é esse mundo como está, bom cabe a mim como mãe educar e saber que filho vou deixar para esse mundo e não ao contrário. Ou seja respeito a opinião de todos mas não quer dizer que eu concorde com elas. RESPEITO é o que falta para muitos, na maioria das vezes quem cobra isso são nossa família que só querem o nosso melhor, fazem por Amor e não especulação. E quando forem pessoas menos importante use a educação que lhes cabe e encerrem o assunto e ponto.

      • Renata Lima disse:

        Vanessa, me desculpe, mas preconceituoso é o seu comentário, que começa logo citando Deus, deixando implícito que todos devem acreditar no mesmo Deus que você. Com relação à procura do “pai perfeito”, não sei nem por onde começar a comentar os absurdos… O que mais vemos na sociedade são mulheres que foram criadas para pensar que apenas podem ser felizes e completas se casarem e tiverem filhos, e homens que se sentem acuados neste desejo alheio. Estes mesmos homens são absolutamente ausentes na criação dos filhos, geralmente com o “aval” das próprias mulheres, que foram levadas a crer que “a maternidade é uma bênção”, já a paternidade, nem tanto assim. O que existe de filhos órfãos de pais vivos não está no gibi…
        Isso sem contar que filhos podem ter dois pais, duas mães, ou apenas uma mãe ou um pai… Mas isso você talvez jamais entenderia, afinal sua visão de mundo deve caber apenas em um programa matinal da Globo…
        Um dica? Se tiver uma filha, por favor liberte-a desta prisão; dê-lhe asas para que ela possa ser livre, e não um kit cozinha cor de rosa de aniversário. É um favor que você fará à humanidade (e ao futuro dela mesma).

    • thayna disse:

      Jura??use seus lamentos para outra causa nao prabquem escolheu nao ser mãe.”Esta esperiência maravilhosa” d(essa maravilha kkkkk eu não faço a menor questão

    • thayna disse:

      Vc escolheu ser mãe ela (eu também)escolhemos não ser está maravilha não faço e a menorrrr…Questão “chamado”kkkkkk respeita mas lamenta querida não precisa lamenta não somos muito felizes ☺ não tendo cria

  4. Daniela pontes disse:

    Sensacional o texto!!!
    Tb acredito piamente q o amor de mãe deve ser algo indescritível e alucinante… mas não quero pra mim, obrigada!!
    Parabéns pela lucidez e clareza ao representar tantas de nós q vivemos esse julgamento constante e cruel!!!

  5. Joyce Bezerra dos Santos disse:

    Nossa, sensacional o seu texto! Já ouvi muita reprova por parte da minha própria mãe sobre a opção de não querer ter filhos. Tenho 24 anos e casada há dois, mas sempre tenho que ouvir a mesma pergunta, dar a mesma resposta e ser reprovada com as mais variadas caras possíveis! Qual o problema, gente? Amo criar cachorros, amo a minha liberdade, amo o sossego da minha vida, amo ter tempo para os meus compromissos! Admiro demais todas as mães! Tenho um carinho enorme por elas e reconheço todos esses sacrifícios que elas fazem por seus filhos, mas não é meu momento, não me vejo nele!
    O maior dos problemas é querer impor o modelo perfeito de família e de vida para todos, as pessoas não entendem que cada um vive feliz a sua maneira!
    Parabéns pelo texto.. AMEI!

  6. Lola disse:

    Ótima reflexão! O que mais se vê são crianças sendo cuidadas pelos outros : babá ,avó ,tia… educação jogam pra escola – que faz escolarização e não educação! E educar dá trabalho! É impor limite 24 h por dia 7 dias na semana! Se você não tem essa disposição não tenha filhos! Não sofra e não faça outro sofrer!
    Ficar 5 minutos com a criança ,tirar foto ,postar no face e ficar o resto do dia na celular ou no computador … isso é o que a maioria dos pais fazem hoje!
    E sempre a mulher acaba sendo a mais cobradas… a responsabilidade na maioria das vezes recai sobre elas. Então se não decidem por filhos temos que respeitar ! E que bom que podemos ter essa opção!Melhor do que ter mais uma criança negligenciada no mundo!
    Egoísmo é não preocupar com o futuro!

  7. Luciana disse:

    É difícil compreender como uma mulher não deseja passar pela incrível experiência da maternidade, seja ela naturalmente ou por adoção. Não acredito que seja o melhor caminho a escolher pois não viemos à este mundo para desfrutar simplesmente de nossos desejos. Muito mais que um simples prazer, status, ou como você prefira chamar, a maternidade contribui para a nossa própria evolução e amadurecimento. Além disso, cuidar dos outros nos torna seres melhores. Escolha ou egoísmo, esta é a sua opinião e não cabe a ninguém querer mudar.

    • Jamilih disse:

      É fácil compreender quando sai da caixinha que nos é imposta socialmente. O desejo de ser mãe não é em sua maioria natural e sim criação. Até a era vitoriana ser mãe era só obrigação, não tinha todo o reboco de gesso e flores que conhecemos hoje e crianças eram mini adultos. E uma das provas que não somos exatamente programados pra desejar isso é justamente seria um dos raros animais onde o ato sexual é prazeroso, justamente pra ser uma armadilha pra reproduzir.

      • Prof. Ane disse:

        O que a leva pensar que não podemos desfrutar nossos desejos? Se isto não afeta negativamente alguém, por que os outros insistem em dar opinião, em reproduzir o status quo de que a mulher só é completa quando tem filhos? A maternidade contribui para evolução, cuidar dos outros nos torna melhores, claro. Mas isto somente através de filhos? Me parece egoísmo demonstrar amor somente quando o ser é fruto do próprio ventre. Tantas crianças abandonadas em orfanatos, tantos idosos esquecidos pelos filhos em asilos, tantos doentes precisando de voluntários para fazer companhia e alegrar o triste dia, tantos animais abandonados que passam por tratamento cruel dos “donos” e que precisam de novos tutores, tanta destruição da Natureza para sanar nossa busca por status… Além disso, o amor nem sempre dá certo, porque vemos que quando um filho critica algo nos pais, estes não aceitam; quando o filho é diferente, é expulso de casa (ou morto)… Precisamos de um filho para ter amor verdadeiro? Precisamos de um filho para buscar o autoconhecimento? Egoísmo é ter filho para dar continuidade à família, à profissão do pai, etc. Não entendo porque a escolha de não ter filhos é visto como egoísmo…

  8. Andreia disse:

    Simplesmente adorei o texto e me encaixo perfeitamente.
    É simples não querer ter filhos. Escolhemos outros amores, outros prazeres… sem
    Necessariamente precisar agradar a sociedade.
    Tenho dois afilhados que amo de paixão…
    Mas confesso que em um determinado momento já quero delegar seus cuidados a sua mãe.
    Quanto ao chamado da natureza deixo para aquelas que os sentiram e não me
    Obriguem a atender a seus desejos, porque os meus chamaram mais alto

  9. Alex disse:

    Desculpa, tenho absoluto respeito pela opinião, mas vai ser egoísta assim lá no espaço… Se os pais dela pensassem como ela, esta pessoa corretíssima não existira. Que tal?

    • Faby disse:

      Não, você não respeita a opinião dela.

    • Paula disse:

      E o que tem a ver os pais dela com isso? Você acha que se os pais dela não quisessem ter filhos, ela ficaria vagando pela eternidade esperando pra um dia nascer??? hahahaa qual o sentido disso? Como ela falou, egoísmo é botar filho no mundo e não criar, colocar outros (babá, avós) pra cuidar, abandonar…
      Como ela está sendo egoísta?!? Ser egoísta é pensar mais nela do que nós outros, mas nesse caso, quem são os outros? O filho que nunca nasceu? Ele não existe!!

    • Jamilih disse:

      Eh por isso que existe algo fabuloso chamado “escolha”. Eles escolheram ter, eles que arquem com sua escolha. Não devo fazer algo só porque um antepassado meu fez e nem você.

    • Samy disse:

      “Desculpa, tenho absoluto respeito pela opinião, mas” (Qualquer fala com falta de respeito)… Hipocrisia, não tem outro nome.

    • Cristiano bonato disse:

      Disse tudo..pessoas assim é porque não conseguem ter é querem frustrar os outros,um filho é a coisa mais sublime q existe.

    • Sara disse:

      Egoismo eh ter filho enquanto existem tantos filhos abandonados, sem pais… soh queres botar filho no mundo porque eh TEU filho, tais pouco se lixando pros outros. Hipocrita.

    • Carol disse:

      É, você DEFINITIVAMENTE não respeita a opinião dela!

    • Marko disse:

      Mas os pais dela escolheram ter filhos e ela pensa diferente. Não é como vc que é um bitolado preconceituoso.

      Não é egoísmo, é escolha, serenidade. Mas vc nunca vai entender né … e sabemos porquê.

  10. Débora Shirley disse:

    Perfeito!! São as mesmas indagações e argumentos que tenho para não ter filhos! E como vc escreveu, se por ventura eu tivesse algum, eu seria a melhor mãe do mundo! Eu tenho sobrinhos e eles já tomam muito do meu tempo, preocupação e amor… imagine se eu tivesse filhos! Não, não, obrigada! Deixa eu usufruir do tempo, amor e carinho que eu tenho para oferecer para meus sobrinhos, animais e crianças carentes, sem muito amor e atenção!

    Parabéns pelo texto e por expor seus pensamentos e conceitos em relação a isso! Quem me indicou pra ler isso foi Priscila Marietto, sabendo que penso da mesma forma que vc!!

    Seja feliz!!

  11. Hiroji Okano Júnior disse:

    Valeu a tentativa, mas se vc não tem na sabe como é!
    Eu pensava assim como vc.

    • Dolores disse:

      Eu tb pensava como ela, e tive um filho. Conclusão: confirmei tudo o q eu achava, nunca mais tive paz e provavelmente nunca mais terei, pois a preocupação é constante. Eu ouso dizer que tu nunca mais será livre, pois não importa a idade do teu filho, será sempre uma preocupação constante. Respeito quem pensa em ter filhos, quem não quiser e quem quer adotar, a única coisa que jamais respeitarei é alguém querendo fazer com que a pessoa siga aquilo

      • Simone disse:

        Parabéns pela clareza e sinceridade.

      • Monica Diogo disse:

        Dolores, querida, também não sou mãe. Não por opção, mas porque meu marido teve câncer e não pode ter. Tive, sim, minha fase de maternidade aflorada, onde a gente acha até criança feia, linda hahahhhh, mas, o tempo passou e o filho realmente não veio e não quisemos adotar. Foi difícil, mas, como nunca fui do tipo maternal, consegui superarem e seguir. Hoje, vejo alguns amigos que sofrem com seus filhos adolescentes e, sinceramente eu sou muito feliz. Não sinto falta do que nunca senti. Espero que você volte a dormir direto e você é seu filho sejam muito felizes.

      • Faby disse:

        Há uma pressão muito grande pra sermos mães, vide alguns comentários contrários a opinião da jornalista. É um assunto que é tratado de maneira romantizada, com muita fantasia. A carga sempre recai nas costas das mulheres, seja o cuidado com filhos, seja a contracepção. Dolores respeito muito a sua sinceridade, por que reflete a verdade que muitas mães não contam por medo de serem censuradas. Desejo de coração que você seja vitoriosa com seus filhos.

  12. Job disse:

    Entenda que não é uma questão de julgamento, mas como pai acho que tu perde em não querer ter filhos, eles são demais, é incrível ver o crescimento deles, talvez o egosita seja eu por por filhos nesse mundo louco, talvez, tenho dois filhos é acho eles fenomenais.
    Ter filhos é ter medo, medo do que vai acontecer no semáforo quando tu para de madrugada, se ele vai se adaptar bem na escolinha, se ele vai se machucar e se eu perder o emprego??? E se a escola não for a melhor???
    Uma coisa eu digo com certeza, a melhor escola não faz ele vai feliz, ou o melhor carro, a felicidade deles passa diretamente por nós(país) se conseguirmos pasa carácter e moral, tenho certeza que estou fazendo o meu papel.
    Brinco com meus amigos que ser pai é como quebrar o braço é uma sensação que só se entende quando acontece, é nesse caso é indescritível!!!
    O mundo é feito de escolhas é adimiro quem tem coragem para defende-las.
    Parabéns!!!!

  13. Deise Fayer disse:

    Eu considero o não desejo da maternidade totalmente lícito. Porém considero que o ser humano que não tenha como propósito de vida outro ser, acaba se sentindo vazio, no fim das contas. Seja trabalhando com caridade, voluntariado, cuidador de animais, que seja… mas algo relacionado ao próximo.

    • Faby disse:

      “…o ser humano que não tenha como propósito de vida outro ser, acaba se sentindo vazio…”
      Serve um cachorrinho, meu Haley, vira-lata resgatado das ruas? Ou tenho que, necessariamente dar a luz?

    • Faby disse:

      Li agora seu comentário sem pressa, mas mesmo assim, ainda vejo uma certa cobrança de que há de se cuidar de um ser. Tem gente que não quer e não sente vazio algum, lide com isso.

    • Jamilih disse:

      Não tenho intenção de ter filhos e não sou vazia. Também não faço caridade. Tenho outros objetivos em mente a alcançar e crianças seriam um completo atraso (não, não é apenas por isso que tomei a escolha, isso é algo que vem se solidificando desde que me entendo por gente). Dizer que alguém é vazio, “Relógio biológico” são elementos do chamado “maternidade compulsória”.

  14. thais costa disse:

    Ótimo texto!!! Compartilho muito das ideias do texto.

    Já tive fases de sentir uma vontade incondicional , o instinto materno de “ter um bebê”. E agora com 31 anos, ainda posso mudar de ideia claro, não consigo mais sentir esse desejo interno de ter um filho, justamente pelo fato de ele não será eternamente um bebê. O mundo da cada dia mais complicado, cada dia mais injusto e difícil, os valores de honestidade, simplicidade, amor, carinho estão se perdendo muito rápido, a natureza está indo pro espaço. Não, não é o mundo que eu daria pro meu filho e não preciso de um filho para minha velhice.

  15. TATIANA NEGRIS disse:

    excelente texto! me representa!!!

  16. Sophie disse:

    Meu Deus!!!! Eu preciso fazer uma placa deste texto e andar com ela como se fosse minha própria roupa…todos os dias…O texto é perfeito!! E quem não concorda que cuide dos seus filhos muito bem!! Quem critica não tem o direito de fracassar como mãe na vida, me desculpe!!

    A decisão é de cada uma… e a consequência tbm.

    Não é obrigação da mulher ter de ser mãe… é uma ESCOLHA. E sabia é a mulher que DECIDE e ESCOLHE ser mãe… diferente das que são por acaso ou são por status, ou são por conveniência.

    Parabéns pelo texto. Simplesmente PERFEITO

  17. Carol disse:

    Eu tenho dois filhos, mas admiro demais a tua escolha. Talvez eu quis isso um dia tb, mas hoje trilhei outro caminho e decidi casar e ter filhos! Sou muito feliz, mas sempre me pergunto como teria sido se tivesse escolhido não ter filhos…

  18. Aline Silver disse:

    Amei!! Nao sei como e e nem quero saber, nao, nao, obrigada !e pra quem me julga, lamento, mas to neeeeeeeeeeeeem ai !

  19. Luiz disse:

    fico feliz com mulheres que compreendem esse texto… e que entendem que ter filhos não pode ser confundido com status. Sou homem em sou feliz por nao ter filhos. fiz uma otima escolha …. E se acham egoista ??? Oras … o problema é meu…

  20. Ellen disse:

    É uma pena confirmar o que o texto diz claramente. Pensar diferente do dito “correto” sempre sofre com críticas. Como dito no texto, ser mãe não é obrigação. Graças a Deus!

  21. André disse:

    Sou homem, mas te entendo perfeitamente!!! Conheço várias mulheres que querem ter filhos e várias que não querem. E todas têm suas questões para essa escolha mais do que legítimas. Seu texto é maravilhoso e muito sensato.

    Tenho uma amiga que nunca quis ter filhos. Teve porque o marido quis muito. Claro que ela ama o filho, é uma boa mãe, mas tem o mesmo pensamento e convicção de antes. Mesmo depois de saber o que é ser mãe, se ela pudesse escolher, ela preferia não ter tido filho. E isso é uma questão dela e NINGUÉM tem nada a ver com isso.

    Todos os pontos do seu texto são extremamente compreensíveis. Concordo com tudo o que foi colocado. Ser mãe não é ter um boneco. Ser mãe é uma vocação. É MUITO mais do que apenas dar a luz. Aliás ser pai é por aí também.

    É preciso que as pessoas respeitem as outras e suas diferenças. Essa questão é muito pessoal. Que coisa chata essa imposição!! E como você bem falou, o discurso é de uma hipocrisia absurda. Todo mundo aceita tudo na teoria, mas na prática é bem diferente.

    Parabéns!!! Continue assim… feliz do jeito que você achar que deve ser!!!

  22. André disse:

    Excelente texto. Concordo com tudo o que foi dito. Te entendo perfeitamente. Ser mãe é uma vocação. Não é apenas dar a luz.

    Tenho amigas que sempre quiseram ter filhos e tenho amigas que nunca quiseram. Todas têm seus motivos e questões extremamente legítimas tanto para um lado quanto para o outro.

    Aliás, tenho uma amiga que nunca quis ter filhos. Teve porque o marido queria muito. É boa mãe, ama o filho, mas continua com a convicção e o pensamento de antes. Mesmo depois de ser mãe, se ela pudesse escolher, não teria tido filho. E NINGUÉM pode julgá-la por isso.

    Essa é uma questão muito pessoal. Que coisa chata essa imposição!! E como você bem disse, existe uma hipocrisia absurda na nossa sociedade. Na teoria todo mundo aceita tudo, mas na prática é bem diferente.

    Parabéns!!! Continue assim… do jeito que você acha que é mais feliz!!!

  23. Maria disse:

    Perfeito! amo minha paz ,minha liberdade, viajar, dormir até a hora que eu quiser, assistir o programa que tiver vontade, gastar o que ganho comigo mesma, roupas, sapatos, bons restaurantes,. Tudo isso seria bem limitado se tivesse filho. Filho? não, obrigada! não tem amor que pague minha paz e sossego!
    E esse papo, que é o único amor verdadeiro e que melhora as pessoas, basta ver nos noticiários todos os dias, crianças abandonadas, mau tratadas, abusadas, e até mortas pela própria mãe! se filho fosse bom assim, os orfanatos não etariam cheios!

  24. Patricia disse:

    Tenho 34 anos , casada há 9 anos e nunca tive vontade de ter filho. Conversei com meu marido antes de casarmos porque se a vontade dele era ser pai eu não era a pessoa certa para ele. Há 2 anos ele fez vasectomia. Isso me deu um alívio danado. Meu maior medo sempre foi engravidar sem querer. Temos um relacionamento muito bom; vivemos em lua de mel ha 9 anos. Se me questionam, explico minhas razões e ficam com aquela cara de tacho.

  25. Thais disse:

    Como pode um texto ser tão, mas tão esclarecedor e direto assim, minha gente! Rs.. Com 6 anos de casada, já ouvi tanta cisa absurda e entrei em tanta briga SÓ porque eu decidi que ser mãe não é pra mim. As pessoas te consideram “criança” ou irresponsável o resto da vida, mas o que elas não vêem é se eu não levantar todo dia e pagar as minhas contas, eu morro de fome. Que eu tenho pai e mãe que daqui pra frente são 100% responsabilida de minha e que eu vou cuidar sim, como uma mãe cuida de um filho porque eu acredito que esse amor incondicional tb seja de filho para pais, como é o meu caso! Ser mãe, pra mim, teria que ser pelo menos metade do que a minha É, e pra isso preciso de pelo menos umas 15 vidas ainda!

  26. Taisse Cristina disse:

    Ótimo texto eu respeito a vontade e decisão de cada um, mais ainda sim vou defender a maternidade, foi a melhor escolha que fiz na minha vida é um amor tão puro e verdadeiro que não sei como esperei tanto tempo para ser mãe.
    Tenho uma filha de seis anos e gêmeos de um ano e dois meses e vou falar com toda convicção sou louca por eles e só agradeço a Deus pela oportunidade de me fazer mãe.

  27. Marina disse:

    Este texto não tem fundamento, se vc não é mãe não tem como acreditar nesse amor que vc acha q existe, será que toda mãe que sofrem em todos os sentidos, por não dormir, pela dor do parto, dor da amamentação, sofre com o filho adolescente, passaria por td isso e falaria que é a melhor coisa do mundo???
    Vc não tem noção….e nunca vai ter, só se vc for mãe…ai sim vc vai entender o sentido da vida….

    • Ive disse:

      Desculpe, mas que bobagem! Tenho filhos, os amo muito. Mas tenho certeza de que minha vida seria muito melhor se eu não os tivesse tido. Justamente pq não deixo a cargo de ninguém a educação deles e eu e meu marido dividimos em tudo a criação. .. Nunca me deram trabalho algum, ambas gestações, partos, etc foram sem problemas. Simplesmente pq criar filhos é extremamente difícil e desgastante. Não me arrependo, mas continuo achando que quem não os tem é mais feliz.

  28. GRAZIELA MARTINS disse:

    Lendo os comentários percebo que os homens são tão mais tolerantes com nós mulheres do que nós mesmas, por que não podemos simplesmente nos apoiar? Por que temos que achar que todas as mulheres são iguais, antes de tudo somos pessoas, indivíduos, seres humanos diferentes, essa coisa de relógio biológico ou função de reproduzir é uma construção cultural da civilização apenas isso, em algumas culturas os pais desempenham o papel da mãe;
    Vamos nos apoiar por favor, eu apoio todas as escolhas femininas, cada uma baseada em seus desejos e contexto de vida!

    • Juliana Bakos disse:

      Exato são mulheres julgando outras mulheres não existe a mínima união, parece que existe um rancor até uma disputa do tipo” tive filhos viu , sou muito feliz, vc nunca saberá já que não vai ter…” um grande absurdo e falta de respeito às escolhas.

  29. Roberta disse:

    Que palavras libertadoras, Raquel! Este texto me representa. Parabéns! E as meninas que hoje ouvem que devem ser mães, que se realizarão desta forma, que este será o sentido de suas vidas precisam ouvir também, desde muito jovens, que existe a alternativa de não terem filhos, de que podem tomar suas próprias decisões, de que podem se realizar da forma que mais fizer sentido para elas. Vamos espalhar a notícia: mulheres são plenas e poderosas e livres e felizes SEM FILHOS. Obrigada!

  30. Carolina disse:

    PARABÉNS pelo texto.. isso resumiu tudo o que eu penso. Eu nao quero ter filhos e toda vez que falo isso me olham de cara feia, mas eu já cansei de explicar. Ser mãe nao é brincar de boneca.. mas tem mt gente que pensa assim.. ridículo.. mas tem.

  31. Ellie disse:

    Sou mãe de uma linda mocinha de 11 meses, ser mãe sempre foi meu desejo e sonho e estou muito feliz em ser. Mas sempre digo: se vc tem dúvida sobre ter filhos, não tenha! Só tenha, se vc tem total certeza de q quer isso para a sua vida! Pois é muitoooo difícil ser mãe… Não é apenas uma bela experiência…é uma grande responsabilidade…é uma renúncia de praticamente tudo q vc tinha antes. É gratificante? Para mim e para tantas outras, sim ..vale a entrega. .. Mas para inúmeras outras, não! E não há nada de errado nisso!!! Cada um sabe o q é melhor para si próprio e tb para o outro, afinal há um terceiro envolvido…. Egoismo é ter um filho por pressão ou para ter essa experiência e depois não cuidar, educar…

  32. ana cláudia disse:

    A quatorze anos atrás levei um chute por não querer ter filhos, ele não sabe o favor que me fez. Me sinto melhor por saber que não sou um monstro e que outras mulheres também pensam em não ter. E acho que homem não deve dar pitaco, vão deixar de ir ao jogo pra trocar fraldas??????

  33. Moni disse:

    Adorei o texto! Me pergunto por que as pessoas tem que se meter tanto na vida dos outros, mal conseguem cuidar da sua! Eu por exemplo ja me formei e tudo mais mas hoje sou dona de casa, talvez por uma temporada mas agora é o que quero e o que me deixa feliz e as próprias mulheres olham com reprovação. Também não sonho em ter filhos, pelo menos agora mas cada um é livre poxa. Gostaria que as feministas tbm defendessem as que querem e GOSTAM E SAO FELIZES sendo donas de casa, afinal são mulheres e a vida é delas! Tenho uma amiga que está com 40 anos e não quer ter filhos mas está tentando pq todo mundo pede disso…poxa vida né!

    • Carol disse:

      Moni, mas o feminismo acredita que a mulher pode ser aquilo que bem entender, inclusive dona de casa, se essa é a vontade dela, e não uma imposição, algo para o qual foi treinada, algo que o marido ou família obrigou. Se você se sente bem assim, se sente respeitada e está feliz, sem que se sinta obrigada a ser dona de casa, então está OK. O feminismo apenas luta para que a mulher entenda que esse não é o seu papel natural, ser dona de casa e cuidar exclusivamente das tarefas não é instintivo e sim cultural (assim como a maternidade, conforme o texto exposto). Espero ter ajudado =*.

  34. Diego disse:

    Sou homem, mas como sempre digo… Se está em duvidas sobre ter um filho, é melhor nem ter… A experiência e responsabilidade não é para todos… Ainda mais nos dias de hoje… O ideal é criar filhos com todo um planejamento e todo o amor do mundo, isso é o maior ato de coragem e amor que uma pessoa pode ter…

    Interessante o texto da jornalista, respeito a opinião dela…

  35. Entendo você, Raquel, do fundo do meu coração eu te entendo.
    O mundo está terrivel, é díficil pensar na criação e educação de uma criança nesse caos. Fora os preços, é caro ter um filho. E as noites de sono, ah as noites de sono, que saudade. Com os filhos tomar banho é uma tarefa díficil, comer é quase impossível, ir ao banheiro então… Nossa!!!

    Mas, todos os dias eu agradeço a Deus por te abdicado da minha vida e dividir o meu amor com as minha filhas.

    Tenho duas filhas lindas, que são a razão do meu viver. Não me imagino sem elas na minha vida, pois elas são a minha realização. Cada um tem o seu caminho e os seus objetivos na vida. O meu é ser a melhor mãe do mundo e criar duas pessoas maravilhosas que possam mudar o mundo.

    Até mais.

  36. Alessandra disse:

    Parabéns pelo texto. Sou mãe, desejei muito ser, não imagino como seria não ter sido. Porém essa é a minha história. E a beleza de nosso tempo é a possibilidade que temos de fazer ESCOLHAS, que são nossas, de mais ninguém. Pronto. Então menina, é sua vida, seu corpo, seu mundo.

    Pelos comentários você vê que está longe de ser exceção: muitas mulheres estão descobrindo novas possibilidades de exercer escolhas, longe da combinação casamento-filhos-família. Na próxima amiga ou tia chata que venha com a pergunta ou o conselho sobre a opção de vida-pronta-perfeita você já terá mais força para simplesmente dizer algo do tipo: “não quero, entende? essa é minha escolha”. Depois conta como foi. 😉

  37. Priscila disse:

    Acho que as pessoas devem purae simplesmente respeitar as decisões e as opiniões dos outros. Tenho 38 anos, casada a 5 e até agora não sei se esse negócio de relógio biológico realmente existe! Quando estamos em casa só marido, não sinto falta de nada! Ele me completa! Quando estamos na presença de amigos com filhos, acho lindo, me imagino na situação, observo, acho bacana, até fico imaginando como seria o rostinho de um filho nosso. Saindo dali passa! Sinceramente acho que minha indecisão vem da pressão da sociedade e da minga idade. Ter un filho pra cuidar de mim na velhice não e o objetivo correto, até porque inúmeros são os casos de idosos abandonados nos asilos pelos filhos e familiares. Esses que abandonaram ja foram bebês, desejados e amados. Acho que independe da escolha, o respeito pelo outro é o que interessa.

  38. Iracema disse:

    Concordo plenamente com a Rachel. Eu também escolhi não ter filhos e não me sinto egoísta, estranha, diferente por isto. Escolhi porque nunca quis addumiir tamanha responsabilidade….. prefiro ter minha liberdade, viajar, estudar ter meus hobbies….

  39. Sara disse:

    Eu sou casada já tem 7 anos, namorei 6 antes disso… Estou com 31 anos agora e acho que as pessoas já até desistiram de me perguntar sobre filhos. É impressionante a pressão que uma mulher casada sofre por todo mundo! Queria saber se todos que já me cobraram um dia iriam pagar as despesas do meu filho, se iriam acordar de madrugada para alimentar, se iriam cuidar quando adoecessem, se iriam trocar as fraldas sujas dos meus filhos, se iriam parir por mim, se iram sentir enjoos por mim, se sendo eu autônoma deixariam de trabalhar pra cuidar do meu filho… Enfim, as pessoas cobram, mas é a mãe que abdica de quase tudo, sofre todas as transformações do corpo e que tem todo trabalho. Trabalho fora todos os dias, faço pós, todo trabalho de casa é meu, cuido de 6 animais, resolvo os problemas, agilizo a vida e nunca houve uma época estável financeiramente falando para ter um filho, ainda mais contando com minha renda que é fruto de trabalho autônomo. Se não trabalhar não entra um real e sem essa minha renda as contas não batem! Ainda mais nesse último ano com marido desempregado. Engravidar como? Vejo bebês e não tenho vontade nenhuma… Nunca tive! Ainda não é uma decisão para a vida, mas até ho-je não senti um pingo de vontade. Talvez se minha realidade fosse outra tivesse outro tipo de proceder, mas na minha rotina, na vida para a qual fui levada não cabe um filho. SE até meu último tempo fértil o cenário mudar talvez tenha sim, caso não mude com certeza não terei e não me arrependerei porque simplesmente não dá e não tem nem como querer. Filho dá trabalho e tem que se dedicar muito!!! O que mais vejo por aí são crianças birrentas, cheias de vontades, que mandam nos pais, sem educação, sem limites, mal criadas, respondonas… E isso sempre me faz pensar porque aquela mãe teve filhos se não se dá nem ao trabalho de corrigir, educar, impor limites, ensinar a viver em sociedade, passar valores… Isso é difícil e muita responsabilidade mesmo, então se não tem tempo, paciência ou não tem como se dispor a criar uma outra pessoa, melhor fazer que nem eu: Não ter! Ou tenha quando puder cuidar…

  40. Rodolfo Carvalho disse:

    Legal ver sua ideia mas esse texto e totalmente contraditório, primeiro vc fala q não é egoísta não querer ter filhos depois vc fala q não quer filhos pois esses tirariam sua paz, depois vc fala de preconceito e o defini como omitir opinião sobre oq vc não conhece, portanto td q vc falou nesse texto sobre filhos foi preconceituoso. Sobre o tema principal concordo com vc cada um e feliz de uma forma, então seja feliz como lhe convém e quem te encher o saco manda pastar.

    • Prof. Ane disse:

      Muito bem explicado, Sara. As mulheres tem que perceber que é uma opção e que exige responsabilidades (de ambos, pois são “casal”: o pai também tem que fazer sua parte, não só “ajudar”). Pessoal é irresponsável, acha que será um sonho, um conto de fadas… Somos ensinadas assim. Engraçado que muita gente, invés de querer mudar o mundo (sendo cidadão ativo, cobrando responsabilidade dos representantes políticos, exigindo de outros cidadãos o cumprimento das regras mínimas, etc), apenas se preocupam em se reproduzir e deixam os filhos sob cuidados de outros (aí quando a criança faz algo errado, não sabe por limites; a criança não obedece, pois não sente afeto, não respeita).

  41. ROSE STURM disse:

    Cada escolha tem seu lado bom e seu lado ruim, eu escolhi não ter filhos, mas é bem complicado quando as nossas escolhas não são compreendidas, ninguém é obrigado a nada e acho que respeitar a opinião e escolhas é começar a viver em um mundo melhor.

  42. Priscila Moncayo disse:

    Olá Raquel, seu texto retrata exatamente o que eu penso e nunca faço aos casais aquela pergunta horrível e invasiva “Quando vem o bebê?” Cada mulher é dona da sua vida e tem a sua opinião, mesmo que essa opinião possa mudar ao longo de sua vida. Nunca quis ser mãe, ou ter um bebê como você diz. Sempre achei criança um pé no saco. Tinha uma vida ótima eu e meu marido, viajávamos, íamos pra onde queríamos sem ter ninguém pra dar satisfação. Enfim a vida era perfeita e foi assim durante 8 anos e resolvemos em comum acordo não ter filhos já que nossa vida era ótima.
    Engravidei por um descuido, a vida nos surpreendeu e nove meses depois estava eu e meu marido com nosso filho nos braços. A sensação é a mais maravilhosa que eu jamais pude imaginar. Hoje tenho dois filhos e são a melhor experiência da minha vida. Sou mãe educadora e isso dá trabalho! Não deleguei a educação deles à babás ou avós, nunca concordei com isso, se vc tem um filho a responsabilidade é sua, então cuide, eduque e seja mãe ou pai. Não me arrependo mas meu respeito continua sendo o mesmo por quem opta não ter filhos.

    • marisa dos santos disse:

      mais axo q vc tem que ser dona de casa sim, se vc tem um filho e coloca na crexe, como vc vai acompanhar seu filho crescer….nessa modernidade das pessoas ,,, ja esta dificil criar mfilho vc ao lado deles 24 hora imagine se nao estiver ao lado deles o que acontecera. colocar um filho no mundo e ir trabalhar fora e facil……. abandona o servico e vai cuidar dele 24 horas talves vc muudará de opiniao…

  43. Tyris disse:

    Acho engraçado as pessoas enaltecendo suas escolhas, e ao mesmo tempo, julgando as escolhas alheias. Porque eu respeito escolhas, mas dizer que a mãe que decidiu ter filhos e tve precise que a avó ou a babá cuide pra ela trabalhar é egoísmo, desculpe, vcs estão sendo tão levianas quanto quem as condena por não ter filhos. Quer dizer que mãe só pode ser mãe se for dona de casa, sustentada pelo marido, cuidando dos filhos? Quem disse que a mãe que trabalha e precisa de outra pessoa para cuidar também está delegando a educação ou não se importa com os filhos? Cara isso é surreal viu… Que bom que existem mulheres que conseguem sim, conciliar maternidade com profissão e nem por isso seus filhos estão renegados, pois precisam e devem dar o sustento a eles e não depender só do pai que as vezes nem existe na vida, e isso não foi uma escolha. Não usem disso argumento pras suas verdades. Respeitem tanto quanto querem ser respeitasas. Também não quero ninguém me apontando dedo e me chamandonde péssima mãe por trabalhar e precisar contar com a creche ou a avó. Meu tempo com meus filhos é valioso e todo amor e dedicação dou, do mesmo jeito.

    • Tata disse:

      Concordo Tyris, é uma maneira de justificar a escolha de quem opta por não ter, apontando o dedo na cara de quem teve, mais uma forma de julgamento!! pra quem não quer ser julgado comece a não julgar!! Tive um filho, não quero ter mais nenhum, mas pergunta se a cobrança acaba? nunca!! agora esperam q eu dê um irmãozinho….sociedade!! dar palpites todo mundo quer, levar pra casa pra cuidar, jamais!!

  44. Jessica disse:

    Também não sinto vontade de ter filhos, isso é algo que não desertou em mim!

  45. didtyuoiurtdoui disse:

    Tudo papo furado… Quando chegar aos 40 e poucos ela vai gastar uma fortuna pagando uma clínica de reprodução assistida prá tentar engravidar. Se não for mãe até os 50 vai acabar adotando uma criança…

  46. Rubia Benelete disse:

    Antes de ter meu filho, achava chocante quando diziam não querer ter filhos. Hoje, depois de ser mãe, acho a escolha mais sensata. Se acha que não dá conta, não tenha. É algo tão grande que certamente não é para qualquer um. Uma amiga me perguntou se eu acho que ela poderá se arrepender, no futuro, caso não tenha filhos. Respondi que talvez, mas acho menos estrago uma só pessoa arrependida do, além de uma mãe arrependida um ser em formação negligenciado.

  47. Karine disse:

    Creio que seja uma decisão muito séria a de não querer ter filhos! Eu sou suspeita a falar porque sou extremamente realizada como mãe e sempre desejei me casar e formar minha família com a bênção de Deus!
    Respeito a opinião alheia … mas, mesmo contrariando alguns eu digo e repito: tenham filhos! Só assim conhecerão o ápice do amor incondicional e sem limites!

  48. Ana Ribeiro disse:

    Tenho dois filhos, lindos, tenho orgulho deles? Claro que sim! Engravidei no susto, aos 23 com pílula de farinha, aos 33 por ter vários policísticos e meu ginecologista pedir pra trocar a pílula por outra bem fraquinha (disse ele) já que você não vai poder engravidar tao cedo! Hum hum! E se eu tivesse parado para escolher? Pasmem, teria cuidado mais de mim, deixei tudo por filhos e família, estudos, trabalho! Hj aos 49 com os 50 enfiando o pé na minha porta, penso que se tivesse escolha não teria sido dessa forma! Fui criada para ser dona de casa, mãe e esposa que espera seu marido linda e cheirosa hahahaha, surpresa! Cadê marido? Com outra, formada, feliz, cuidada e sem filhos! Enfim, não estou amargurada não gente, só quero q entenda que minhas “escolhas” me trouxeram onde estou! Acham q era assim q imaginava quando fiz 19? Isso aí, quem ainda tiver tempo, aproveite para fazer escolhas em que possam dar conta! Ah pára as que prezam pela “natureza da mulher” meus filhos me amam e eu também os amo, mais queria ser mais para dar mais a eles!

  49. Dura Realidade disse:

    Irão se arrepender quando estiverem velhas, sem contar o egoísmo perante seus antepassados (nada de sociedade), que se tivessem pensado como as srtas mulheres modernas, as mesmas não estariam aqui filosofando idiotices na internet.

  50. Filipe disse:

    Marxismo cultural. A gente vê por aqui.

  51. Cláudia disse:

    Nunca quis ter filhos. Não sinto vontade.
    Hoje, com o que vejo, tenho certeza que tomei a decisão certa. E outra, com o mundo na casa dos 6 bilhões de habitantes, não acho que minha escolha vá afetar algo. Admiro quem teve essa coragem. Hahahaha. Eu, sinceramente não tenho!!

  52. rafa disse:

    Sou mãe, e não consigo me imaginar sem a minha filha!É um amor incondicional!Dinheiro,bens materiais,amor,sucesso,não poderiam me trazer o que sinto ao ver minha filha! Respeito a escolha de quem não quer ter filhos e acho que muitas mulheres deveriam fazer o mesmo não colocar filho no mundo se não estão dispostas a criar esses filhos com amor e dignidade! O mundo seria um pouco melhor se mulheres fossem responsáveis em não engravidar se não querem e deixar crianças largadas,sofrendo na vida,sem estrutura,sem o mínimo de condição.

  53. Eloisa disse:

    Acho que quem não quer ter filho não deveria ter meeeeeesmo! Filho exige muita abnegação das coisas. Mas acho egoísmo sim, não querer ter o sono atrapalhado para cuidar de outra pessoa, não querer chegar em casa e ficar uma hora dando jantar ao invés de deitar no sofá e ver tv, etc etc etc. Enfim, nunca quis ter filhos e sempre quis ter uma vida egoísta nesse ponto. Até que me veio a vontade e tive. Se sua vontade não aparecer, não tenha mesmo. Estou muuuuuito feliz em ter mudado de idéia e não me arrependo. Tudo passa muito rápido. Não acordo mais à noite, vaaaaarias coisas que as pessoas reclamam de ter filhos, pra mim passaram muito rápido. Às vezes é ansiedade das pessoas em querer ter controle de tudo, querer uma vida como antes… Acho que muita gente tem filho sem saber mesmo. Melhor entrar nessa já sabendo e com vontade! Entendeu onde é egoísta? Egoísta é só pensar em si. Isso com filhos não combina. Nem um minuto. Só faz sofrer.

  54. Thais disse:

    NA MINHA MAIS HUMILDE OPINIAO ❤
    Quando você diz não quero ter filhos, não quero ter essa experiência ou até mesmo, não gostaria que meus filhos vivessem num mundo como o de hoje… É sim uma escolha livre e justa que só indica que vc ponderou os fatos, e que fez uma escolha do que será melhor para você, um possível parceiro, e hipotéticos filhos. Todos nós fazemos isso… escolhas que nos beneficiem.

    Mas quando no seu texto vc descreve alguns dos motivos de NÃO QUERER SER MÃE sendo os de noites não dormidas e preocupações… aí sim eu acho que cabe o tom de julgamento que vc sente de algumas pessoas… OK, vc nao querer por uma razao maior, mas eh que isso soa tão superficial… ainda mais se com sorte vc ainda tiver pais vivos, que estão em casa torcendo pelo seu futuro mas ainda assim se preocupando com a sua segurança e bem-estar.

    Na minha leitura foi apenas ISSO que me fez desacelerar e reler suas palavras…. MEU maior desejo é sim um dia ser mãe, não sei explicar o porque, não estou tentando e ainda sou nova. E eu tenho algumas amigas que assim como VOCÊ não partilham do meu desejo. E eu de todo coração respeito. Não acho que pra uma pessoa ser boa precise gostar de crianças e animais… Mas ouça seus motivos com atenção e siga sua intuição. E seja feliz!!!

  55. Angel disse:

    Texto falou tudo o que eu penso.
    Vamos lá, eu nunca quis ser mãe. Mas a certeza veio quando comecei a trabalhar como babá, é muito fácil ser mãe meia hora por dia, é fácil ser mãe quando tem alguém que cuida 24 horas, pra você trabalhar , chegar e ir pra balada todos os dias, fácil é ser mãe quando você pode viajar e deixar seus filhos 15 dias sozinhos em casa com a babá, é fácil ser mãe quando na viagem em família você só precisa se preocupar em tomar sol porque tem alguém disponível para tomar conta do seu filho.
    Ok, vamos lá! Eu sou paga para fazer isso , amo as crianças que cuido e cuido com muito amor.
    Agora eu me pergunto? Cadê o amor dessa mãe? Que não fica mais que meia hora por dia com seus filhos? Vocês chamam isso de amor? Ou status? Outra observação a fazer , não quero generalizar nada, contudo o que eu vejo são filhos comprados pelos pais, meu filho se você fizer isso, se tirar tal nota a mamãe da aquela viagem pra você! A relação de amor entre pais e filhos se transformou em uma moeda de troca. Que triste.
    Pra concluir meu raciocínio, eu não quero ser mãe pelo simples fato de que, quero cuidar de mim, trabalhar pra mim, viajar pra mim.
    Sem me preocupar em educacar, sustentar, comprar, uma pessoa.
    E sobre fazer o sociedade entender isso? Eu desisto. Sim, pois pra muitos somos infelizes, frias , mal amadas, não estamos seguindo a lei natural da vida, entre outros .

  56. Carlos Landeau Bobadilla disse:

    Excelente reflexão!

  57. Patrícia disse:

    Exatamente o meu ponto de vista.

  58. Kelly disse:

    Não era meu maior objetivo de vida casar e ter filhos. Meu objetivo era profissional, mas conheci alguém legal pela internet que conversarmos o tempo todo, nos conhecemos e se encantamos, namoramos durante 5 anos, casamos porque não conseguiamos mais morar distantes. Depois de casados filhos ñ era nem pauta e a pressão externa era grande, mas nós nunca nos impressionamos com os outros, passaram-se mais 5 anos…Mas loucamente em Agosto de 2014 tivemos vontade de aumentar mais um pouquinho a família, olha que andavamos ocupados, ele trabalhava no RJ, eu cursava Farmácia durante o dia e trabalhava a noite, logo ñ foi uma decisão louca ou um erro, foi a vontade de tocar, de cheirar e de ver nosso amor feito gente. Então orei e coloquei na mão de Deus, resolvir pela primeira vez ñ me prevenir durante o ato de amor e foi pá pun: Manuelly. Passei por muita coisa no último ano algumas intensamente difíceis que a maternidade me deu força para prosseguir. Dei um intervalo de tempo em alguns sonhos para sonhar um sonho que eu nem imaginava sonhar: a maternidade, vivo intensamente e ñ arrependo, vejo hoje o porquê de ter nascido. Mas aviso se ñ quiseres abrir mão de vós ñ tenha filho por satisfação pra sociedade, tenha se quiser e se puder trocar seus objetivos. Para quem quiser ler…

  59. Vivian disse:

    Realmente colocar um filho nesse mundo não é nada fácil, se formos pensar em todos os contras da vida não sairíamos de dentro de casa. Por isso existe a fé em um Deus. Hoje tenho uma filha e acredito ser uma obra Dele em nossas vidas. Antes dela nascer já era muito feliz, e acredito que continuaria sendo feliz sem seu nascimento, porém até quando? Como seria meu futuro sem ter passado por essa experiência??? Ninguém sabe, só Deus sabe de todas as coisas….

    • Prof. Ane disse:

      Aí tenho que discordar, Vivian, e avisar para que não generalize.
      Não creio em um Deus, não preciso de uma divindade para ter vontade de sair de casa e enfrentar os “contras” da vida.
      Que bom que está feliz com esta experiência, mas nem todas precisam de filhos para continuar feliz. =)

  60. Marko disse:

    Muito bom o texto!! Eu tenho amigas que pensam como vc é elas comentam comigo o rótulo que lhes é atribuído logo que expressam essa escolha e isso não as faz mudar de ideia mas é lamentável o quanto o nível de estupidez de indivíduos condicionados possuem.

    E vi nos comentários aqui, homens achando seu pensamento um “absurdo, egoismo”, “que é a maior dádiva de deus” e qué respeito sua opiniao… respetam nada são os HIPÓCRITAS cirados no texto. Lamentável mesmo é existir tanta gente assim, meras massas de manobra, marionetes… Não sabem o significado da palavra respeito, então, não devem saber o que hipocrisia, tolos!

  61. Cássio disse:

    Texto legal.

    Mas quem não tem filho, nunca saberá o que é um verdadeiro amor de uma mãe ou pai por um filho.

    Não há amor igual, é algo inexplicável que somente pode ser sentido e vivido. É uma pena que algumas pessoas morrerão sem descobrir essa incrível sensação.

  62. Alex disse:

    Penso que isso não é apenas questão de escolha. Isto é dom de Deus. Tem muita gente que quer ter filhos e não consegue e muita gente que não quer e acaba tendo filhos. As pessoas acham que estão no controle absoluto de suas vidas e decidem: ” Não vou ter filhos”. Depois conhecem uma pessoa especial e isto pode mudar. Acho que cada um tem a sua opinião porém quem tem o controle de todas as coisas é Deus! Existe um propósito para cada pessoa e “SIM” pode ser que você vai ter filhos ou não. Mas pare de expressar sua opinião como se fosse senhor(a) da verdade: “Não vou ter filhos”-Mude para:”No momento não pretendo ter filhos”. A vida passa, as coisas mudam e não se esqueçam que às vezes apenas o querer não é suficiente.

  63. João disse:

    Deixa eu te falar. A sua amiga está coberta de razão. O único e real motivo que você não quer ter filhos é por que é egoísta, mas não consegue enxergar. Toda e qualquer “coisa” que lhe tire o foco no seu crescimento profissional deve ser evitado. Mas essa é uma atitude muito comum, algumas mulheres só não querem falar, mas na maioria das vezes pensam como vc e só não têm a coragem de assumir.
    Eu discordo, mas não condeno seu ponto de vista, afinal sempre vai existir opinião divergente.
    Más quando você parar de olhar para o próprio umbigo e enxergar que o mundo não é só seu trabalho, vai repensar.

    • Prof. Ane disse:

      Não é por questões profissionais, mas por saber que posso ajudar outras pessoas de outras formas. Que meu amor pode ser direcionado a estranhos, e não apenas a filhos que tem meu próprio sangue (porque considero esse argumento egoísta, sim: “só vai descobrir o amor quando tiver seu próprio filho”). Existem diversas formas de se sentir bem, pode ser no trabalho, com o cônjuge, com um filho… É um escolha pessoal. E devemos ter o direito de decidir, sim. Quer, que bom, seja feliz. Não quer, que bom também.

  64. Scheila disse:

    Nossa, texto muito bom…
    Eu também nunca pensei em ter filhos, mas meu marido sim. Então cedi e hoje temos um de quase 2 anos e estou grávida de outro.
    Se pudesse escolher não voltaria para vida de antes, mas com certeza conseguiria ser muito feliz mesmo sem ter filhos.
    Isso realmente é uma escolha muito pessoal e deveria ser respeitada, independente da opção de cada um.

  65. Karen disse:

    Assim como outros comentários, é bom ver que não estamos sozinhas. Não, não somos obrigadas nem a casar e muito menos ter filhos, não é natural, não é organico, é uma decisão. Engraçado que sempre quando falo que não quero ter filhos, todo mundo responde “ainda não, né?” e eu respondo “sem ainda, realmente é uma decisão”. As pessoas não entendem mas acho que nem vão entender. Todo fds que acordo as 10h da manhã fico feliz com a minha decisão! Reportagem apoiada e vamos nos unir pra que nos respeitem mais!

    • Prof. Ane disse:

      Olham como se fossemos ETs ou não estivéssemos donas de nossos pensamentos e decisões, né? “Você vai mudar de ideia”, não, não vou. “Mas quando casar e ele quiser ter filhos, e você amar seu cônjuge, vai dar um filho para ele” Ahn? E o meu direito de não ter? O complicado é escutar isso de médico. Quero fazer laqueadura e encontro dificuldades, pois os médicos não querem autorizar, apesar da Lei de Planejamento Familiar. O corpo é meu, a decisão é minha, respeitem.

  66. J, Batista disse:

    Você é jovem, meu filho, e, com o passar dos anos, o tempo vai mudar e até mesmo reverter muitas das suas opiniões presentes. Abstenha-se, portanto, um tempo de configurar-se como um juiz dos maiores assuntos.
    Tenho irmãos, pai, mas não tenho mãe. Quem não tem mãe, não tem família. A procriação e o nascimento são coisas imortais num ser mortal.
    Platão

  67. Adriane disse:

    Acho engraçado as mulheres que resolveram entrar aqui pra dizer que são mães e não se arrependem, que é a melhor coisa do mundo e tal. Uma chegou a dizer que lamenta a escolha de quem não quer ser mãe! Salvo algumas exceções, estas que se deram ao trabalho de ler algo que nem acreditam e ainda se declararam, se sentem obviamente atingidas e ofendidas pela forma de viver das mulheres que não querem ser mães nessa vida. A questão não era essa, minha gente. Defender o ponto de vista de não querer ser mãe, não é para invalidar o de querer ser mãe. Precisamos de mães e pais no mundo para a raça humana continuar existindo! Também não é para ficarmos discorrendo os motivos biológicos e não biológicos de querer ou não querer trazer um ser a esse mundo. Isso é particular, não tem certo nem errado. Simplesmente, há felicidade em muitas formas de viver, não tem como dizermos que só a nossa forma de viver é a melhor. O ser humano é plural! Que bom que nós mulheres temos liberdade hoje (pelo menos em países como o nosso) de realizarmos o nosso desejo de sermos mães quando, com quem quisermos e quantas vezes quisermos, mas, também, o de não sermos mães!

    Se, no final, uma pessoa se sente ofendida com a forma como outra pessoa escolheu de levar a própria vida, o problema está nela, não na outra.

    Parabéns, Raquel Novaes, pelo texto.

  68. anita disse:

    Eu não quero ter filho tem! E não porque não quero criar alguém nesse mundo, como está. Mas sim lêem ente porque boa quer ser mãe. Nunca quis. As pessoas acham que eu encontrei depressão.

  69. Ingmar disse:

    Minha namorada nunca quis ter filhos e não é menos mulher por isso. Para mim era indiferente ter ou não ter, então tudo bem.
    Mas a verdade é que o “próximo” atormenta, principalmente as mulheres. Quando é solteira perguntam porque não tem namorado. Casou, porque não tem filho. Tem o primeiro, tem que ter mais um para “formar” um casal. Separou, é porque tratava mal o marido. Se tem mais idade e sai para a balada, não se dá ao respeito e assim por diante.
    O inferno realmente são os outros…

  70. PH disse:

    Tudo e uma questão de experiencia…tenho uma filha linda,mas nao tenho cachorro ,tenho certeza que perco algo por nao ter cachorro ,poderia ser mais feliz se tivesse um ,mas eu nao tenho…nao da pra saber se eu seria mais feliz porque eu nao experimentei!Agora ,é raro achar alguem que ja teve filho falar que se arrependeu de ter tido,com cachorro penso que acontece a mesma coisa….enfim é tudo uma questão de qual experiência você quer para sua vida ou não ,e que independente da decisão que tomou, essas são responsáveis por terem produzido esse serzasso fodástico que voce é hoje ,seguro o suficiente de se gabar do seu filho ou do seu não filho,do seu cachorro ou do seu netflix …impossível julgar experiência que não temos….vão tutti cagari!!descansem…

  71. MARIA ELENA BEAL disse:

    Lendo isto eu me ponho a pensar: Como fica o coração de Deus?
    Ele disse: crescei e multiplicai-vos….
    Por outro lado, quem odeia a família é o inimigo de Deus…. não preciso nem dizer seu nome.
    Para muitas mulheres o arrependimento virá…. só q poderá ser tarde demais.
    E…. se outra mulher quiser dar um filho p/ o seu marido?…. td pode acontecer não é mesmo?

    • Marko disse:

      O coração de deus não fica de jeito nenhum… As pessoas não têm que basear suas decisões em função de deus não. Se você faz isso, é uma escolha sua e pronto! Não imponha isso aos outros e não ache que os outros são menos ou mais porque não seguem a mesma linha de pensamento que você. Deus não vai dar comida, criar, dar atenção, dar trabalho, carinho, estar próximo nas horas difíceis, quando ela estiver com essa criança.
      Bem, quanto ao outro querer ter filho e a mulher não poder mais,o cara que estiver com ela estará ciente disso e deverá escolher, assim é a vida. vc entende isso? Nada além de nós mesmos podemos interferir em nossas vidas.

  72. Lu disse:

    Ótimo texto. Alguns comentários chamam atenção ” ter filho é presente de Deus”, “não teve filho por não ter encontrado o homem certo”, “chamado da natureza”, “quem não tem filho nunca saber a o que é amor verdadeiro” por mais que avancemos no tempo ainda estamos presos a todas estas proposições clichês medievais. Ter ou não ter é opção é ponto final. O que percebo e muito me entristece é ver pessoas que atendem o chamado da natureza, recebem o presente de Deus etc estarem preparados apenas para o filho idealizado, perfeito. Quando o “presente” vem com avarias tudo se desestrutura, conheço inúmeras mulheres arrependidos, sofridas, abandonadas pelo homem de suas vidas. Não tenho filhos não sou superior nem inferior no quesito felicidade. Entretanto quem deseja ter o faça com sabedoria e esteja ciente das responsabilidades, não tenha filho por imposição social, pra atender desejos dos familiares, pra entrar no grupinho de amigas mães… pois via de regra quem vai sofrer as consequências da escolha é você, não é sociedade, parentes, natureza ou Deus.

  73. Mariana disse:

    Na minha opinião nós só temos filhos por motivos como:dar continuidade a espécie,porque a sociedade impõe,para criarmos maturidade porque quando temos filhos precisamos ter responsabilidades para cuidar etc, e também para você ter uma família,chegar ao Natal e ter a sua própria família para passar e não ficar sozinho.Fora isso,não tem vantagens nenhuma em ter filhos,pois eu sempre ouço falar que quando você tem filho sua vida acaba,pois tira a sua liberdade para sair,tira o seu sossego, te dá inúmeros gastos,e etc,é o que eu ouço de mulheres que já são mães,pois você abre mão de viver a sua vida para ficar presa ao seu filho, por ex pelo menos para a mulher quando ela engravida a atrapalha para namorar,estudar,trabalhar,sair e tudo mais!!

  74. Mariana disse:

    Nossa, que texto maravilhoso! O encontrei por acaso e nunca “me vi” tão bem-representada. Faço aniversário amanhã e sei que essa é uma das pautas de cobrança que as pessoas que te felicitam pela data têm na língua. Se eu já admirava a Raquel Novaes como jornalista, a admiro ainda mais agora. Pelo depoimento, pelo primor de texto, pela coragem de falar sobre isso (é algo tão natural, mas alguém sonhar em falar abertamente sobre isso é digno de coragem mesmo), enfim, por ser uma mulher de verdade, uma mulher real – não uma mulher que só reproduz o que é praticamente imposto há zilhões de anos. Também sou essa mulher e quero ter a liberdade de ser essa mulher. Não quero que minha escolha seja cerceada por terceiros. Viva!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *