Feliz dia de “Ah, como elas cresceram!”

Feliz dia de “Ah, como elas cresceram!” 

Por Michelle Póvoa Dufour

 

Elas nasceram ontem, tenho certeza! Eram pouco mais das 10 da amanhã. Primeiro foi a Elisa, às 10h09 e mal tinha dado tempo de nos conhecermos, chegou a Manu, às 10h11. Quando Elisa surgiu eu logo pensei: como é miudinha! E logo depois pensei melhor, peraí mas ainda tem outra pra sair!! Dali em diante (ontem) foram dias de passar um dobrado, literalmente. Mãe multiplicada, né?

 

Mas o que houve de ontem pra hoje? O pé da meia tamanho 0 da Pucket passou para a sandália gladiadora 33 acompanhando o pé de meninas que já falam “dá hora”, que usam gargantilhas de elástico no pescoço, de mãos que recentemente me pediram um anel de casca de côco!!!! Deus!!

 

Se você também anda assim nostálgica por conta do dia das crianças, vem comigo e vamos ler juntas a listinha que preparei com indícios de que elas não são mais bebês. Ah, aqui boto tudo no plural por motivos óbvios..rs

 

  • Se servem sozinhas no buffet do restaurante (ah, claro que cê tá ali com a mão quase segurando a mão delas no prato porque acha que a cena não vai terminar bem)

 

  • Invadem a sua necessaire de maquiagem (só clarinho, hein? Repito sempre e sempre)

 

  • Dançam no provador da Renner enquanto experimentam um short jeans “da hora”(será que eu dançava também? Pior é que acho que sim)

 

  • Usam pulseirinha no pé e no pulso (até apoderecer, ui!)

 

  • Começam a ser convidadas para festinhas infantis (só elas, que fique claro)

 

  • Abrem o porta-malas do carro, tiram a mochila e fecham o porta-malas do carro ( eu assisto a cena paralisada porque até ontem era tudo pesado e difícil e a chegada na escola sempre meio tumultuada)

 

  • Te fazem cafuné (coisa melhor no mundo não existe!)

 

  • Abrem o chuveiro sozinhas sem te perguntar a cada segundo como faz para esquentar ou esfriar a água (gente, esse dia chegou!!!!)

 

  • Falam “Tô zoando”(oi?)

 

Mas se você já tá com um nó na garganta, lágrimas nos olhos porque sim sabe que o tempo tá correndo, calma.

As minhas meninas ainda pedem para EU fazer um rabo de lado, ainda me dão tchau na porta da escola falando que vão morrer de saudades, ainda dizem “Te amo mamãe” ao vivo e no Zap (por escrito e também áudio), brincam de boneca, fazem bolo de areia pra mim, querem colo e me chamam sempre que me vêem na linha do horizonte, apenas para terem certeza de que eu tô ali.

 

Mas aí quando elas me pedem pra eu levá-las no colo depois do cochilo no fim do filme, me lembro que quem não é mais criança sou. Desde que me tornei mãe meu ciático não me deixa em paz!

 

Feliz dia pras crianças e também pra quem não é mais tão criança assim.

 

VEJA TAMBÉM:

Maternidade digital

Precisamos falar sobre o consumo materno

Socorro, tem um slime (geleca dos youtubers) em cima da camisola!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *