Consumo de açúcar por menores de dois anos deve ser evitado

Crianças mais velhas podem ingerir no máximo 25g ao dia

Uma nova recomendação da Associação Americana do Coração alerta sobre o consumo de açúcar por crianças e adolescentes. De acordo com as pesquisa, pessoas entre 2 e 18 anos devem consumir, no máximo, 25 gramas de açúcar por dia, o que equivale a seis colheres de chá. Crianças com menos de dois anos não devem consumir nenhum açúcar adicionado. A recomendação foi publicada na revista médica “Circulation”. O consumo exagerado durante a infância aumenta os riscos de desenvolvimento de doenças cardíacas durante a fase adulta, já que eleva a propensão à obesidade e hipertensão.

A introdução do açúcar deve ocorrer de forma natural com frutas ou por meio do próprio leite. Pode ser adicionado durante o processamento industrial ou preparo dos alimentos. O limite estabelecido pela associação se refere apenas ao açúcar adicionado. “Quando iniciamos a introdução alimentar após a amamentação, a criança ainda está formando o paladar. Estudos científicos apontam que o paladar da criança é diferente na primeira infância, na segunda, na adolescência e assim por diante. O que introduzirmos neste primeiro momento interfere em todo resto pois o paladar é extremamente adaptável. Quando sensibilizamos o paladar, enchendo as refeições de sal ou açúcar, a chance de sentir os sabores mais sutis e suaves é muito menor”, explica Ana Carolina Abreu, nutricionista da Clinica NUT.

A criança começa a rejeitar frutas e vegetais, alimentos que tem o sabor mais sutil. Não é apenas o excesso do açúcar que pode interferir na formação do paladar infantil, mas o de sal também. Por isso, opte por temperos naturais, especiarias ou frutas mais doces para adoçar uma sobremesa. “Isso evitará na fase mini-adolescência de rejeitar ou selecionar os alimentos. Atenção com gelatinas, biscoito maisena ou sucos de caixinha. Eles geralmente só vão contribuir para doenças como obesidade, diabetes, dificuldade de concentração e de sono. Tudo pode ser resultado de um excesso de açúcar ou de aditivos químicos e poucos nutrientes na alimentação”, alerta Ana Carolina.

Substitutos do açúcar

O documento da Associação Americana do Coração indica que a principal fonte de açúcar adicionada são bebidas açucaradas, como refrigerantes, chás, sucos industrializados e bebidas energéticas. Crianças maiores de dois anos e adolescentes devem se limitar a consumir cerca de 230ml desse tipo de bebida por semana. Outras opções para adoçar são melado (fonte de ferro) e açúcar de coco (baixo índice glicêmico). Até a criança completar um ano de vida, o uso do mel de abelhas também é totalmente desaconselhado.

Opções saudáveis para a sobremesa das crianças

Explore novas receitas, banana bem madura congelada dá uma estrutura bem cremosa. Purês de maçã, tâmaras ou ameixas bem hidratadas funcionam muito bem em receitas de bolos. Outra alternativa é o uso de canela, baunilha, especiarias que realçam o sabor adocicado. O chocolate não é proibido, desde que a opção oferecida seja com alto teor de cacau. “Quando as crianças não têm o contato inicial com o excesso de doces elas gostam do chocolate amargo. Chocolate é bom desde que seja sem açúcar branco, gordura vegetal hidrogenada ou aditivos químicos”, ressalta a nutricionista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *