Como preparar o pet para a chegada do bebê?

Pequenas mudanças na rotina ajudam o bichinho a entender e conviver em harmonia com o recém-nascido.

 

A chegada de um novo membro na família pode ser uma situação delicada, quando já temos um animalzinho de estimação em casa, pois toda a atenção da casa era para ele, e agora deverá ser compartilhada. A presença do recém-nascido modificará horários, atenção, carinhos, cuidados. O bichinho não terá mais livre acesso a todos os ambientes da casa na hora que bem entender, entre outras adaptações que serão necessárias não só para o seu pet como para todos os integrantes da família. Para estar equilibrado e seguro, o animalzinho precisa ter uma rotina em sua vida. Mudanças em seu dia a dia acarretam estresse e alterações em seu comportamento, despertando, inclusive, insegurança e o medo de ser expulso do grupo. Para saber como evitar esse tipo de reação, perguntamos a uma especialista: como preparar o pet para a chegada do neném? “Se ele for um animal acostumado a vários passeios por dia o ideal é manter essa rotina ou ir modificando meses antes da chegada da criança. É necessário prepará-lo para toda mudança de rotina (carinhos, cuidados, limitação de espaço). Pense em alternativas e tente planejar os momentos em que poderá levá-lo para passear ou mesmo para brincar. Mude gradativamente para que ele não assuste com a situação”, explica à veterinária Tamires Ferreira.

Caso não seja possível fazer essa adaptação previamente, o que pode acontecer? Ele pode sentir ciúmes? “O pet vai se sentir ameaçado diante da falta de atenção, apresentando sinais de medo e insegurança. Na maioria das vezes o animal passa a não gostar da criança. Uma dica é evitar dar atenção para o animalzinho somente quando o recém-nascido for dormir ou quando não estiver em casa. Tente integrá-lo de modo natural ao convívio do bebê, sempre com cautela e atenção à segurança, claro. Ou então, ele vai entender que só vai ganhar atenção quando o bebê não estiver no território, gerando ansiedade, depressão e até rejeição ao novo membro da família. Essa situação pode trazer algumas atitudes estranhas para chamar atenção como rasgar a caminha, fazer xixi no lugar errado ou parar de comer.” ressalta a especialista.

Nessa fase de adaptação é importante mostrar que as mudanças não irão afastá-lo dos donos. “Para que essa transição seja harmoniosa, recompense o fiel companheiro com petiscos e carinho toda vez que ele tiver acesso à criança. Não grite ou reprima caso ele queira cheirar e olhar recém-nascido. Uma boa dica é deixar uma peça de roupinha do neném usada na caminha do pet. Assim, ele se acostuma mais rapidamente com o cheiro”, sugere a médica veterinária.

Outra dúvida muito comum é: o pet pode circular no mesmo espaço que o recém-nascido? “Hoje muitos animais moram em apartamentos, fica difícil separar os ambientes. Deixe-o entrar no quarto do bebê e participar da organização deste novo ambiente. Mas lembre-se é importante verificar vacinação, vermifugação, controle de pulgas e carrapatos antes deste da chegada do neném. Somente após a essa confirmação das vacinas e da saúde do bichinho, ele poderá ocupar o mesmo espaço que o recém-nascido, mas sempre com a supervisão de um adulto”, explica à veterinária Tamires Ferreira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *