5 dicas para evitar os 5 segundos e poupar as crianças do nosso stress

Foto: komposita / pixabay

Publicado em: 6 de novembro de 2017 às 11:17

5 dicas para evitar os 5 segundos e poupar as crianças do nosso stress

por Renata Bianchi

 

 

Para, pensa, respira!

Aqueles cinco segundinhos de perder as estribeiras não valem os cinco minutos que a gente leva (ou deveria) pra se arrepender de uma bronca mal aplicada.

 

Mas o que são broncas mal aplicadas, no caso? Pelo menos no meu, e creio que na maioria, normalmente estão relacionadas ao mal da Era Moderna – que muitos até já classificaram como a Era da Ansiedade, o STRESS.

Contas e cobranças acirradas, excesso de trabalho, tempo cronometrado, acúmulo de funções, falta de lazer e muito o que fazer, e quando você vai ver, está tudo tão no limite que uma simples birra de criança pode resultar na explosão que queremos evitar aqui: broncas mal aplicadas e estressadas.

 

As crianças precisam ser poupadas das escolhas que não são delas.

Eu mesma já tive de me lembrar disso diversas vezes, algumas infelizmente após uma falta de paciência que poderia ser evitada se houvesse maior equilíbrio entre tarefas e limites. E também se eu soubesse falar mais “nãos”, como a terapeuta natural Suzy Reigado vai indicar a seguir.

 

Na tentativa de proteger nossas crianças das cargas emocionais dos adultos, pedi para uma especialista em acalmar estados ansiosos cinco dicas infalíveis para não entrar na onda desses “cinco segundinhos” destruidores. Vale usar com filho, marido, vizinho pentelho, colega de trabalho ou qualquer ser humano que possa estar na hora errada diante do seu stress.

 

Para, pensa, respira e siga essas dicas:

 

1 – Sabe aquele velho conselho “respire fundo e conte até três antes de falar ou fazer algo”? Ele vale muito nessa hora! Segundo a nossa especialista, três segundos são o tempo necessário para que a nossa mente não seja reativa e cometa algum erro muito grosseiro, ou seja injusta com uma criança. 1, 2, 3 e respira!

 

2 – Falando em respiração, tente esta técnica muito simples e certeira na hora de baixar a bola: respire com o nariz profundamente, exale somente pela boca (fazendo biquinho) e solte o ar bem devagar, como se estivesse escapando o ar do pneu. Faça quantas vezes for necessário até se acalmar. É tiro e queda, pode acreditar!

 

3 – Água! Outra boa dica para esse momento. Caso esteja prestes a se elevar devido ao excesso de cortisol no organismo (o hormônio que controla o stress), tome alguns copos de água imediatamente. Além de hidratar, claro, essa atitude irá diminuir a pressão junto aos rins e pode aumentar nossa paciência.

 

4 – Essa dica é incrível: bater com as pontas dos dedos na “glândula timo” várias vezes (dizem que o timo, energeticamente, é tipo uma caixinha emocional). Segundo a Suzy, quando batemos nessa região, nos conectamos com a nossa força, coragem e sabedoria, além de evitar acúmulos de emoções negativas. A glândula timo está localizada entre a base do pescoço e o meio do peito.

 

5 – Saber dizer “NÃO” é sinal de crescimento. Apesar de não se tratar de uma dica emergencial pré estouro, essa atitude com certeza vai poupar seu “timo” de inúmeras batidas no futuro. Será que você não está assumindo responsabilidades além do seu limite? Será que a divisão dos cuidados com os filhos está correta, justa? Não? Então aprenda a falar mais “nãos” e a delegar mais. Mulher é um bicho capaz de fazer várias coisas ao mesmo tempo, sem dúvida, mas não existe Mulher-Maravilha longe das telas ou dos gibis.

 

Para finalizar, acho que essa frase do Mário Sérgio Cortella cai muito bem nessa reflexão toda, sobre a diferença entre o cansaço e o stress:

“O primeiro caso se resolve com descanso, já o segundo, só mudando de rota ou objetivo.“

 

Essa foi só para terminar o texto com um pulguinha atrás da orelha mesmo 🙂

Até a próxima!

 

 

Colaboracão: Suzy Reigadoterapeuta natural com especializacão em acupuntura, florais, massagens terapêuticas, cromoterapia, reiki, constelação familiar, numerologia e tarô.

2 Comentários

  1. Daniela Valladão disse:

    Não sou mãe ainda, Rê, vc sabe…mas vou tentar aplicar na vida! Como é difícil respirar e contar até 3 quando o sangue sobe (no meu caso ele sobe tão, tão rápido…rs). Gostei das dicas! 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *