5 dicas para adaptação das crianças no coworking familiar

O período de adaptação no coworking é diferente da escola, pois a criança sabe que a mãe está por perto. A entrada da criança em um novo ambiente e uma nova situação, geralmente vem acompanhada de medo, insegurança e expectativas, tanto da parte da criança, quando por parte da família toda. A organizadora do coworking familiar Casa Laço, Elisa Cortez listou algumas dicas valiosas para te ajudar nessa nova fase!

1 – Observação do espaço destinado às Crianças

Ao observar o espaço onde as crianças ficarão os pais devem levar em conta se a estrutura física possibilita a movimentação e independência dos pequenos, além de verificar se os materiais são acessíveis e adequados para as diferentes faixas etárias. É importante ter cantinhos destinados para atividades específicas como leitura e artes, para estimulam a capacidade de autonomia e escolha.

2 – Evitar mentir para a criança

É importante que os pais não mintam e que deixem claro que precisam desse momento para trabalhar e que, quando possível, estarão juntos novamente.

3 – Frequentar o espaço de brincar

É importante que os pais passem um tempinho com seus filhos no espaço de brincar antes de utilizarem o coworking, para que eles se acostumem com os cuidadores e que se familiarizem com as demais crianças. Se não houver disponibilidade da presença do pai ou da mãe, a família pode trazer outra pessoa de confiança, como a avó ou uma tia, para acompanhar a nesse período e adaptação.

4 – Vá ao espaço com freqüência

Utilizar o espaço de infantil é fundamental para a adaptação, dessa forma a criança convive mais com os cuidadores, com as crianças e demais adultos que lá frequentam o ambiente. Com isso, a criança vai aos poucos se apropriando do local, fazendo com que essa transição casa/coworking aconteça de forma gradual, tranquila e segura.

5 – Delegue mais funções aos cuidadores

É comum que os pais tenham vontade de consolar as crianças ao menor sinal de choro ou quando escutam situações de conflito. Porém, é importante esperar um pouco e conter o ímpeto de ir ao espaço de brincar, deixando para os cuidadores a função de tentar acalmar a criança. Caso isso não ocorra e quando ficar claro seu sofrimento, então a mãe deve ser chamada, pois é o que deve acontecer quando o ambiente é pautado no respeito à criança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *